Política

Inimigo dos servidores, Witzel é a favor de aumentar a idade mínima para a aposentadoria

Uma das indicações do programa de governo de Wilson Witzel (PSC) para o provável presidente do Rioprevidência em sua gestão, Sérgio Aureliano, é a revisão do tempo de contribuição dos servidores do estado.

Luiz Henrique

Professor da rede estadual em Resende, RJ

terça-feira 30 de outubro| Edição do dia

”Ao avaliar a reforma da Previdência, ela iria aliviar muito os regimes próprios ao prolongar o tempo de serviço e idade para aposentadoria. A última proposta, por exemplo, prevê aposentadoria só aos 65 anos. O Estado ganha ao receber a contribuição por mais tempo e economiza com menos tempo de aposentadoria.” –Sérgio Aureliano

Essas mudanças no Rio de Janeiro dependem tanto da aprovação da Reforma da previdência de Temer/Bolsonaro, para a questão da idade mínima, quanto de uma análise na ALERJ, para a revisão do tempo de contribuição dos servidores.
O Rio de Janeiro é hoje o estado que mais sofre com a crise, aprofundada pelo golpe institucional e que está sendo respondida hoje com uma intervenção militar federal que tem elevado os índices de assassinatos nas periferias e favelas além de vários outros abusos, como assédio e estupro de crianças.

O reacionário Wilson Witzel foi eleito com um discurso genocida, incentivando a violência policial e o aumento da repressão do estado sobre a população pobre. Também tornou-se infame após participar de um ato onde uma placa em homenagem a vereadora assassinada Marille Franco foi quebrada.

É preciso organizar a luta contra a extrema direita que se apoia em um setor protofascista representado em grande medida por agentes da segurança que estão por trás das milícias. É preciso organizar comitês de luta contra Bolsonaro, os golpistas e as reformas, a partir de todos os locais de estudo e trabalho. É absolutamente imprescindível e urgente que cada entidade do movimento estudantil, sindicato e centrais sindicais, como a CUT e a CTB, façam esse chamado, para fazer pesar a força da classe trabalhadora nessa luta que está muito além das eleições.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar