VIOLÊNCIA POLICIAL

Incêndio devasta escola e professora é baleada no Complexo de Favelas da Maré

Nesta segunda feira, 19/06, no complexo da Maré (RJ), um CIEP foi devastado por um incêndio e ceda de 400 alunos de 26 turmas, segundo a Secretaria Municipal de Educação tiveram que se abrigar no colégio vizinho até a chegada dos responsáveis. Neste mesmo dia uma professo foi baleada ao tentar proteger os alunos durante uma intensa troca de tiros.

terça-feira 20 de junho| Edição do dia

O incêndio aconteceu no Ciep Samora Machel, onde há turmas Educação Infantil até o 6º ano, que fica localizado no Complexo de Favelas da Maré, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. O fogo teria iniciado na sala de computadores da Escola, onde além de computadores ficavam televisões, roteadores, foto copiadora e outros matérias para auxilio didático das aulas além de documentos. De acordo com funcionários, partes dos vidros do colégio foram destruídos com a intensidade do incendio.

Moradores relatam, porém, nas redes sociais que a ajuda do corpo de bombeiros chegou acompanhada de caveirões da PM. Em nota a Policia Militar disse que havia uma operação do CORE na região. Os relatos dos moradores porém indicam que a troca de tiro só teria começado após a chegada dos bombeiros que tiveram de apagar o fogo enquanto se protegiam das balas. Mais uma vez o Estado genocida não deixa passar nenhuma oportunidade de descarregar suas balas cheias de racismo e ódio aos pobres nas favelas dos Rio, mesmo que pra isso precise se aproveitar de uma escola pegando fogo.

O que os bombeiros passaram, tentar sobreviver enquanto seguem com sua tarefa diária que no caso é conter incendios, é a realidade vivida dia após dia pelos moradores da Maré e de milhares de trabalhadores e crianças que precisam sai para estudar e trabalhar debaixo de dos tiros e das operações da PM que começam, muitas vezes, com o raiar do dia.

O fogo que atingiu o CIEP Samora Machel não deixou nenhum ferido. Já os disparos provocados pela Polícia Militar feriram de raspão uma professora. A professora do Espaço de Desenvolvimento Infantil Azoilda Trindade foi atingida de raspão na coxa enquanto, junto a outros funcionários tentava proteger, mais de 30 crianças que encontravam-se jogas no chão da escola, das balas "perdidas".

A política de segurança publica hoje, que se esconde atras do slogan de guerra as drogas, nada mais é que uma guerra as pobres e negros Responsável pelo encarceramento em massa da juventude preta e periférica, por milhares de mortes anualmente e por destinar aos moradores das favelas do Rio uma vida de medo e insegurança.




Tópicos relacionados

Violência Policial   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar