Sociedade

TRÁFICO DE CRIANÇAS

Igreja Universal de Edir Macedo e Crivella é acusada de participação em esquema de tráfico de crianças

A denúncia é feita em Portugal a partir de investigações da emissora portuguesa TVI em conjunto com as autoridades locais que apontam a existência de uma rede de adoções ilegais de crianças e a participação direta de bispos e pastores da IURD. Entre os acusados, figura o nome de Edir Macedo, cabeça da Igreja.

segunda-feira 11 de dezembro de 2017| Edição do dia

Após sete meses de investigação, envolvendo entrevistas com testemunhas diretas como parentes de crianças roubadas, está sendo desmantelado um esquema que existiria desde os anos 90, onde bispos e pastores da Igreja Universal de Portugal, estariam se aproveitando da vulnerabilidade social de algumas famílias carentes de várias cidades do país, para roubarem as crianças e disponibilizando para adoção em países europeus sem consentimento dos país e responsáveis.

A denúncia, baseada no levantamento de mais de 10 mil documentos e 40 processos sobre os episódios, é fruto do trabalho das jornalistas Alexandra Borges e Judite França que batizaram a reportagem como "O segredo dos Deuses".
"Estas mães literalmente foram roubadas no que diz respeito aos seus filhos", afirma Alexandra Borges. A fachada para a rede de tráfico funcionava no ‘projeto Lar Universal’, mantido pela Igreja Universal de Lisboa, desde a década de 1990. Na época, os abrigos recebiam crianças roubadas de famílias em situação de vulnerabilidade social para, posteriormente, serem adotadas por pastores de bispos a IURD.

Com base nestes depoimentos e documentos, suspeita-se que 2 crianças, hoje tidas como netos de Edir Macedo, também seriam vítimas do esquema, segundo informações do jornal português Público. Em sete meses de investigação, mães e crianças que foram separadas pelo esquema se pronunciaram sobre os crimes. "Por muitos anos, estas mães foram a tribunais, Segurança Social, polícia e nada resolveu. Queremos que o Estado ouça estas mulheres", diz a repórter Alexandra.

Não é primeira vez que a Igreja Universal, através de seus lideres e agentes políticos, aparece envolvida em esquema ilícito, especialmente no Brasil, é frequente, como no caso em que Crivella estaria usando recursos da prefeitura para construir Igreja e no mais recente onde Crivella da título de "utilidade pública" à igreja universal para receber verbas públicas.




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Sociedade

Comentários

Comentar