RACISMO

Idoso negro, acusado de furto, é agredido em hospital e sua esposa, assustada, infarta e morre

Um caso revoltante de racismo ocorreu no hospital Dom João Becker em Gravataí, no RS, no último sábado (18). Um homem de 62 anos, negro, foi acusado de furto, sendo agredido e humilhado. Sua esposa, também idosa e com problemas de saúde, ficou nervosa com a situação, infartou e faleceu.

Redação Rio Grande do Sul

Redação Rio Grande do Sul

domingo 19 de abril| Edição do dia

Um caso muito chocante de racismo ocorreu no último sábado na cidade de Gravataí, região metropolitana de Porto Alegre. Everaldo da Silva Fonseca de 62 anos foi acusado de furtar um celular no hospital Dom João Becker. Segundo seus próprios relatos, veiculados pela página Alô Gravataí, ele foi perseguido, humilhado e agredido nas dependências do hospital.

Frente à esta cena absurda a esposa de Everaldo, Maria Gonçalves Lopes, que estava em atendimento no hospital, gritou pedindo que não agredissem seu marido. Ele relatou que ela também foi humilhada com os agressores revirando a cama onde ela estava e inclusive revistando as fraldas que utilizava. Uma situação absolutamente desumana. Maria tratava problemas de saúde no hospital e acabou infartando e falecendo devido ao estresse gerado por essa situação completamente revoltante.

Ainda mandaram ele se retirar do hospital enquanto sua esposa enfartava. Depois de todo esse absurdo o celular que Everaldo foi acusado de furtar foi encontrado em uma das salas dos funcionários do hospital, que chegaram a oferecer lanches a ele como forma de "pedir desculpas". Uma situação extremamente revoltante e absurda, que mostra o racismo estrutural da sociedade capitalista, que custa a vida de milhares de negras e negros. Nos solidarizamos profundamente com a situação de Everaldo e sua família, vítimas desse sistema de opressão e exploração.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Porto Alegre   /    Racismo   /    [email protected]

Comentários

Comentar