Sociedade

CAOS NO TRANSPORTE

Homem cai na via de trem em SP: CPTM esconde superlotação e alega suicídio

Um homem de 45 anos caiu entre o trem e a plataforma na CPTM na estação Pinheiros na manhã desta sexta-feira (24). Segundo entrevista feita pelo jornal G1, passageiros que estavam no local e trabalhadores da Companhia de Trens, ele caiu por ter sido empurrado pela multidão, já a CPTM fala que foi suicídio, fato é que esse fato escancara o absurdo cotidiano do transporte público super lotados e precários.

sexta-feira 24 de novembro| Edição do dia

O homem foi levado para o Hospital das Clínicas e passa por cirurgia. A CPTM soltou comunicado: "A CPTM informa que nesta sexta-feira, por volta das 7h45, imagens do circuito interno de segurança flagraram o momento em que um trem partia e um usuário saiu correndo pela plataforma e se atirou na via férrea". Contudo o jornal G1 solicitou as imagens, mas a companhia negou e disse ter passado elas para a polícia.

Quem pega a CPTM em São Paulo cotidianamente sabe o sufoco para entrar em um trem, ainda mais nos horários de pico, horário em que ocorreu o acidente. A CPTM afirma que o "usuário correu" e se nega a fornecer as imagens pois sabe que é impossível correr nas plataformas lotadas com tanta gente espremida pra pegar o trem.

O Boletim de Ocorrência foi registrado como "suicídio tentado". O fato é que nas duas versões descritas no G1 (dos usuários e da empresa) encontramos os escândalos da vida no capitalismos. A empresa ao falar de suicídio acaba amenizando o fato das estações superlotadas colocarem em risco a vida das pessoas, buscando se isentar da culpa de disponibilizarem um transporte de má qualidade, lotado e inseguro, mostrando sua hipocrisia fria em tratar do caso, omitindo a verdade.

Uma outra testemunha do fato, uma vigilante que não teve nome fornecido que atendeu o homem após o acidente, afirmou que o homem disse que "queria se matar" e que não queria perder o emprego. Que também, se for real essa versão, escancara o drama que milhares de brasileiros estão vivendo com o desemprego, demissões e a reforma trabalhista, que tira a expectativa de vida de muitas pessoas ao ponto de tomarem atitude de ameaçar a própria vida.

Já os demais relatos das testemunhas são desoladores. Em relato para o G1 a designer Soledad Cifuentes, de 38 anos, estava indo para o trabalho quando presenciou o homem preso entre o vão e a plataforma. Segundo ela, “o trem começou a sair, e o homem se debatia. Quando o trem terminou de passar ele caiu na linha”.

Essa realidade da população ao pegar o transporte público se deparando com a própria precariedade do transporte, o descaso do governo e da chefia que administra a empresa de transporte. Mas também sendo o local onde todos se deparam com os damas sociais, seja o suicídio, a população carente obrigada a pedir ajuda nos trens e outros.

É urgente modificar essa situação, estatizar todo o transporte nas cidades e colocar nas mãos dos trabalhadores e usuários, para realmente atender com qualidade a população, e não os lucros das empresas, garantindo a expansão dos transportes na cidade para diminuir a superlotação e evitar acidentes deste tipo. Para que as pessoas não precisem perder suas vidas no transporte e no trabalho, onde cada dia é uma batalha entrar num trem ou num ônibus e os usuários correm cotidianamente sérios riscos de vida.

Foto: Tahiane Stochero/G1. Estação Pinheiros




Tópicos relacionados

CPTM   /    Sociedade   /    Transporte

Comentários

Comentar