Helenira Preta resiste! Juíza pede reintegração de posse de ocupação no centro de Mauá

A juíza da 1ª vara cível, Maria Eugênia Pires Zampol, solicitou reforço policial para reintegração. Publicamos nota da ocupação e nos solidarizamos contra esse ataque do judiciário.

quinta-feira 27 de julho| Edição do dia

“PRECISAMOS NOS MOBILIZAR CONTRA A REINTEGRAÇÃO DE POSSE DA OCUPAÇÃO HENELIRA PRETA!

Nossa pauta é urgente! Vamos lutar e resistir!
Contamos com o apoio e presença de todas e todos!

A Juiza de Direito, Drª. Maria Eugênia Pires Zampol expediu o pedido de reintegração de posse da Ocupação Helenira Preta, solicitando reforço policial.
Isso significa mais um massacre anunciado frente aos muitos que esse sistema nos impõe. Isso acontece quando nós mulheres nos organizamos para por fim à violência e ao sistema que nos oprime e nos explora, nos tornamos ameaça aos interesses machistas e misóginos daqueles que pretendem garantir a continuidade da lógica de exploração.

A Casa que há 20 anos estava abandona e em dois dias já acolhe e atende dezenas de mulheres vítimas de está em risco. Sabendo da denúncia que fazemos referente ao descaso do poder público em intervir com políticas efetivas contra a violência contra a mulher, o Estado quer nos silenciar.

Destacamos que será que estes serão responsáveis não só pela violência do despejo, mas também por devolver essas mulheres aos seus agressores.

Não podemos permitir que mais essa violência aconteça!

Precisamos do apoio de todas e todos para resistir a essa violência anunciada, seguir na luta pela vida das mulheres e manter em funcionamento a casa.

Resistiremos pela vida das mulheres e de nossas crianças!

Existimos porque Resistimos.
Nenhuma a Menos!

#ResisteHeleniraPreta”
O ato em apoio a ocupação ocorrerá no sábado, 17 horas, em frente a praça 22 de novembro.




Comentários

Comentar