Política

Haddad: "nunca disse que não haveria mais leilões do pré-Sal"

Em sabatina, Haddad afirma, depois das ameaças de Bolsonaro de privatizar, que "nunca disse que não haveria mais leilões do pré-Sal".

Cássia Silva

estudante de Ciências Sociais na Unicamp e militante da Faísca

quarta-feira 24 de outubro| Edição do dia

Ao vivo e a cores, o candidato do PT Fernando Haddad afirma em sabatina com colunistas e editores dos jornais que "nunca disse que não haveria mais leilões do pré-Sal". Como pode ser no conferido no vídeo da sabatina abaixo, no período entre 38:45 min 39:35 min, Lauro Jardim o questiona: "Você tem dito que em seu governo, se eleito, não mais haverá leilão do pré-Sal..." - nesse momento Haddad o corta e diz "Eu nunca disse isso". Lauro Jardim insiste "Falou sim, que vai retomar os poços leiloados". O Haddad responde "Que não vai ter leilão? Não, o que eu disse é que iria rever o regime de leilão. O leilão tem que fazer, se não, não tem como explorar aquilo". O jornalista então o interroga diretamente: "Então você vai fazer leilão?", ao que Haddad responde "Não existe exploração sem licitação".

Depois entra a pergunta dos entrevistadores: "Então os leilões já marcados você vai cancelar?"Haddad responde: "É papel do próximo governo definir, é papel do governo eleito".

Como vemos a única ressalva do candidato petista para seguir com a entrega da imensa riqueza do Pré-sal é em relação ao modelo a ser praticado, deixando livre para que os ganhos desse patrimônio sejam drenados pelas gigantes multinacionais do setor e para os países imperialistas.

Isso acontece logo após Bolsonaro, junto ao economista Paulo Guedes, dizer que quer entregar 50 estatais de mão beijada aos capitalistas, entre elas a Petrobras. O "Projeto Fênix", como é intitulado o programa de governo de Bolsonaro, é categórico quanto aos planos para a Petrobras: privatização de todos os ramos.

A privatização vende a preço de banana empresas construídas com o dinheiro público e com o objetivo da manutenção das necessidades da população, como saúde e educação. A precarização do trabalho, que ganha respaldo ainda maior com a Reforma Trabalhista e com a terceirização irrestrita, se torna cada vez maior nas empresas privatizadas.

Fernando Haddad (PT) em seu horário eleitoral não apresentou resposta para enfrentar a continuidade do golpe, tampouco para a derrubada das reformas feitas pelo golpista Michel Temer e agora diz em sabatina que seguirá leiloando o Pré-Sal. Nós do Esquerda Diário estaremos ao lado de todas as pessoas que votarão em Haddad contra Bolsonaro, por isso lançamos nosso voto crítico em Haddad; mas não compartilhamos qualquer ilusão no programa de conciliação de classes do PT, que busca alianças com partidos capitalistas e da direita golpista, nem em sua estratégia eleitoralista que já se provou impotente para derrotar a extrema-direita, Bolsonaro e os ataques dos capitalistas aos trabalhadores e setores oprimidos.

A luta por uma Petrobras 100% estatal sob gestão dos trabalhadores é o que pode dar um resposta, controlando desde a exploração, quanto garantindo combustíveis, principalmente o gás de cozinha, à preços acessíveis para a população e revertendo os recursos do petróleo para os direitos básicos de interesse de todos: saúde e educação.




Tópicos relacionados

Petrobras   /    Pré-Sal   /    Eleições 2018   /    Haddad   /    PT   /    Política

Comentários

Comentar