Política

REUNIÃO MINISTERIAL DE BOLSONARO

Guedes quer submeter jovens como aprendizes no exército em troca de auxílio de R$ 200

Enquanto Paulo Guedes diz querer acabar com o auxílio, reduzindo ele para duzentos reais e depois cortando-o, quer utilizar a situação de pobreza como chantagem para recrutar milhares de jovens para serviços no exército. Leia as falas durante reunião ministerial.

Fernando Pardal

@fepardal

sexta-feira 22 de maio| Edição do dia

Em mais um dos trechos da reunião ministerial vazada por Celso de Mello, o ministro Paulo Guedes mostra qual é a contra-cara da sua medida de querer cortar o auxílio de R$ 600. O que ele quer é colocar jovens nos quartéis como “aprendizes”, lhes impondo a obediência e a disciplina militar em troca de uma renda mínima de R$ 200, numa espécie de transformação do bolsa-família em um “bolsa caserna”. Veja as falas abaixo:

Paulo Guedes: Nós sabemos pra onde nós vamos voltar já, já. Tá certo? E se o mundo for diferente, nós vamos ter capacidade de adaptação. Por exemplo: eu já tenho conversado com o ministro da Defesa, já conversamos algumas vezes. Quantos? Quantos? Duzentos mil, trezentos mil. Quantos jovens aprendizes nós podemos absorver nos quartéis brasileiros? Um milhão? Um milhão a duzentos reais, que é o bolsa família, trezentos reais, pro cara de manhã faz calistenia, faz é... fa... né? Aprende ci ... civil. .. organização social e como é que é o? OSPB, né?

M?: (Ininteligível)

Paulo Guedes: Organização Social e…

Hamilton Mourão: Política.

Paulo Guedes: ... Política, né? Faz ginástica, canta o hino, bate continência. De tarde, aprende,
aprende a ser um cidadão, pô! Aprende a ser um cidadão. Disciplina, usar o ... usar o tempo construtivamente, pô! É ... voluntário pra fazer estrada, pra fazer isso, fazer aquilo. Sabe quanto custa isso? É duzentos reais por mês, um milhão de cá, duzentos milhões, pô! Joga dez meses aí, dois bi. Isso é nada! Então, nós vamos pegar na reconstrução, nós vamos pegar um bilhão, dois bilhões e contrata um milhão de jovens aqui. A Alemanha fez isso na reconstrução. Aí você também quer fazer estrada? Precisa de três, quatro bilhões a mais. Tem um orçamento de oito. Toma aqui seus quatro bilhões. Isso não faz falta. Isso não faz falta. Não é isso o problema. A mesma coisa o nosso ... o problema do jogo lá na ... lá na ... nos recursos integrados.}

Assim, o ministro ultraliberal de Bolsonaro mostra que não é apenas em privatizações e cortes que quer atacar, mas também garantir que os jovens sejam subordinados à disciplina militar e à obediência em troca de uma renda que é insuficiente para qualquer família. Mostra que é admirador do regime de Pinochet não apenas por suas medidas econômicas, mas pelo seu militarismo obscurantista.




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro   /    Exército   /    Política

Comentários

Comentar