Economia

Guedes comemora dólar alto a R$ 5: ‘muito mais saudável’

Enquanto o câmbio depreciado vem provocando inclusive distorções no preço dos alimentos, Paulo Guedes classificou o alto preço do dólar como "muito mais saudável" para a economia.

terça-feira 24 de novembro de 2020| Edição do dia

Foto: Alan Santos/PR

Paulo Guedes, o gestor ultraliberal do governo de extrema direita de Bolsonaro, orgulha-se do valor altíssimo do dólar enquanto a crise econômica no Brasil deixa milhões de desempregados e os salários estão cada vez mais rebaixados. A desvalorização do real tem sido apontada inclusive como causa do aumento dos preços dos alimentos, já que os produtores preferem abastecer o mercado externo ganhando em dólares do que vender no mercado doméstico.

"Nós estávamos em um endividamento em bola de neve, pagando juros altíssimos e com câmbio sobrevalorizado. Uma combinação bastante perversa de dois preços críticos na economia. A economia está muito mais saudável . Invés de (ter) juro a 10%, 12% e o câmbio a R$ 1,80, a economia está muito mais saudável com juro de 2% e câmbio de R$ 5. É muito melhor", disse o ministro, em transmissão ao vivo para o mercado financeiro.

Na segunda feira (23) o dólar alcançou o valor de R$5,43, Paulo Guedes comemora a alta do dólar, mostrando para quem administra a economia brasileira, já que enquanto a alta prejudica os trabalhadores brasileiros, beneficia o mercado financeiro especulando com as reservas internacionais e privilegiando o pagamento da dívida para a mão dos banqueiros.

Ministro da economia do governo Bolsonaro, mostrou seu ódio e preconceito as trabalhadoras doméstica quando defendeu o aumento do dólar, porque as trabalhadoras domésticas estavam viajando para Disney. E segundo Paulo Guedes, isso precisava ser mudado porque isso representava na prática a desvalorização da moeda americana.

Paulo Guedes é o que existe de mais liberal no governo Bolsonaro, um defensor ferrenho das políticas neoliberais que a todo custo quer fazer a classe trabalhadora pagar por um crise que não é nossa. Enquanto Paulo Guedes defende a retirada de direitos da classe trabalhadora, os grandes empresários e imperialismo norte americano vem lucrando rios de dinheiro em cima das vidas dos trabalhadores e da juventude.

É preciso lutar pela auto organização da classe trabalhadora para enfrentar todos os ataques do governo Bolsonaro e dos agentes desse regime decante pós golpe institucional.




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Economia

Comentários

Comentar