Mundo Operário

GREVE METROVIÁRIOS SP

Guarnieri sobre greve metrô de SP: "É uma luta contra a privatização e em defesa da população"

quarta-feira 17 de janeiro| Edição do dia

Os metroviários de São Paulo reunidos em assembleia acabam de votar a deflagração da greve nesta quinta-feira, 18/1. O Esquerda Diário entrevistou o operador de trem da Linha Azul, Felipe Guarnieri, sobre a greve, que tem como motivação a luta contra a privatização do transporte metroviário (Linhas 5-Lilás e 17-Ouro, com leilão para ocorrer na sexta-feira, 19), contra o aumento das tarifas e contra as demissões promovidas pelo metrô.

Felipe Guarnieri disse que "Nosso objetivo não é atrapalhar a população. Muito pelo contrário, acho que todo trabalhador sabe dos ataques que tanto o governador Alckmin quanto o prefeito João Doria estão implementando no transporte de São Paulo. Querem vender um direito da população para aumentar o lucro dos empresários. Nossa luta é contra a privatização do metrô, para que o transporte da população não seja entregue aos consórcios como a CCR, mas também estamos em defesa da população, e por isso incorporamos na pauta de nossa greve a luta contra o aumento da tarifa: R$4,00 é um absurdo. Diferente do que o Dória diz, não é dinheiro para ’facilitar troco’, é dinheiro que sai do bolso do trabalhador para pegar transporte todo dia".

Guarnieri, pedindo a solidariedade da população a uma luta comum de todos contra a piora dos serviços do transporte, concluiu que "O metrô amanhá estará fechado. Suas estações estarão vazias. Mas nós trabalhadores metroviários estaremos em frente a cada estação para esclarecer a população sobre os motivos da nossa greve, e explicando por que é necessário unirmos forças contra os ajustes antipopulares do governo do PSDB paulista".

O Esquerda Diário estará desde a madrugada na cobertura da greve dos metroviários de SP. Acompanhe conosco essa importante batalha.

Assista o vídeo:




Tópicos relacionados

Metrô   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar