Juventude

100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA

Grupo invade aula sobre a revolução russa na UERJ pedindo intervenção militar

domingo 29 de outubro| Edição do dia

Num contexto onde grupos de direita fazem ações provocativas e tentam censurar museus, palestras como de Judith Butler e outras atividades acadêmicas, políticas e culturais, também baseados no Escola Sem Partido, na última quarta-feira 25/10 um grupo invadiu um evento sobre 100 anos da revolução russa que aconteceu na UERJ.

O evento fazia parte da grade do programa de pós-graduação em História e era ministrado pela Professora Titular em História Teresa Toríbio Brittes Lemos, especialista em América Latina.

Trata-se de um grupo de extrema direita, ligado aos militares, que organizou a ação de maneira pensada, filmando, como vem sendo típico dos grupos proto fascistas ou fascistas, para alentar na internet não somente “likes”, mas mais ações desse tipo.


Imagem retirada de revista Forum

Esse grupo tirou os casacos,mostrando camisas pedindo intervenção militar tentando intimidar as pessoas do local. Após um algum tempo esse grupo foi retirado pela comunidade da UERJ que estava no local.

Os organizadores do evento acadêmico emitiram um comunicado onde dizem:
"Essas pessoas comportam-se como marginais, buscando, com métodos de intimidação, desencorajar iniciativas de debates ou reflexões sobre temas que talvez nem conheçam (...) Não admitiremos essas práticas na sociedade, ainda mais dentro da Universidade que é o espaço do debate e da construção do pensamento crítico e autônomo. Essa atitude é um exemplo do que significou o regime ditatorial, persecutório e covarde (...) Tomaremos as providências necessárias para que essas práticas não se repitam e os indivíduos sejam devidamente responsabilizados. Continuaremos realizando debates e conferências com intuito de estudar e compreender melhor as questões mundiais, sob os mais diversos matizes conceituais. Recusamos qualquer tipo de censura à Universidade e ao pensamento crítico"

Não podemos deixar que o escola sem partido tire o debate das escolas e das universidades. Precisamos nos organizar para impedir que esse tipo de grupo não siga se sentindo à vontade para agir como se não sofresse conseqüências. Nos organizemos para defender o livre direito de manifestação e pensamento, nas ruas e nas universidades, e para colocar para fora da UERJ e das universidades esse tipo de provocadores.

Fascistas não passarão!

Viva os 100 anos da revolução russa!




Tópicos relacionados

UERJ   /    Rio de Janeiro   /    Juventude

Comentários

Comentar