Educação

MARANHÃO

Greve dos professores de São Luis/MA denuncia precaridade da educação pública

Professores da rede municipal de São Luis do Maranhão estão em greve por melhores condições de trabalho e reajuste salarial. A situação vivida pela categoria em todo o país, de baixos salários e precaridade da educação pública, é denunciada pelos professores da cidade.

segunda-feira 7 de agosto| Edição do dia

Desde o dia 1º de agosto os professores da rede municipal de São Luis/MA estão e greve por reajuste salarial e por melhoria nas condições das escolas. Reformas atrasadas, falta de creches e de escolas, alimentação e transporte escolar de baixa qualidade fazem parte da realidade das instituições de ensino e precarizam a educação pública e o trabalho dos professores.

Assim como em todo o país, um reajuste salarial digno é negado à categoria. A gestão de Edivaldo Holanda Junior (PDT), empresário reeleito em 2016, nega o reajuste salarial de 7,64% e a quitação das perdas salariais de 2012 a 2016, que somam 16,7%, reivindicados pela categoria em greve.

Em algumas escolas do município, de acordo com o sindicato da categoria, falta até água para alunos, professores e funcionários utilizarem. As salas de aula também têm infraestrutura inadequada, com falta de ventilação e iluminação. As reformas que não terminam nunca impedem milhares de alunos de estudar com qualidade.

A resposta da prefeitura à greve é a retaliação aos professores. Na UEB Alberto Pinheiro, no centro da cidade, o nome dos professores e professoras grevistas chegou a ser exposto em cartaz colado na parede. Em outras escolas a direção pediu que grevistas assinassem um documento sinalizando sua adesão.

Desde o início da greve vem ocorrendo diariamente blitz nas escolas para conscientização e mobilização da categoria. Na próxima quarta (09) ocorrerá ato na Praça Deodoro, às 17h.




Tópicos relacionados

Nordeste   /    Greve   /    Educação   /    Educação   /    Professores

Comentários

Comentar