Sociedade

14J CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Grande ato toma as ruas de São Paulo no 14J

sexta-feira 14 de junho| Edição do dia

Foto: TV Globo

Apesar da orientação da maior parte das centrais sindicais, como CUT, para que o dia 14 fosse um dia de "ficar em casa", muitos trabalhadores e jovens se reuniram na Avenida Paulista a partir das 16h dessa sexta-feira para manifestar nas ruas o repúdio aos ataques de Bolsonaro.

Após manifestações em diversos pontos da cidade no período da manhã, e mesmo após a repressão brutal que marcou a manifestação da USP, em que ao menos dez trabalhadores e estudantes foram presos, e ainda se encontram detidos no DEIC, a disposição de luta dos que foram às ruas pela manhã não se arrefeceu.

Às 18:30, já eram pelo menos onze quarteirões tomados pelos manifestantes na Avenida Paulista, e pouco depois seguiram em marcha no sentido da Rua da Consolação.

A manifestação expressa que, apesar do boicote deliberado de direções sindicais, como foi o caso da UGT, que no último segundo traíram importantes paralisações, como a dos motoristas e cobradores de São Paulo, há entre os trabalhadores ânimo para paralisar o país e ir às ruas para derrotar Bolsonaro e o Congresso.


Foto: Celso Tavares/G1

Acompanhe pelo Esquerda Diário a cobertura completa desse 14J contra a reforma da previdência.




Tópicos relacionados

14J   /    14J Contra a reforma da previdência   /    Reforma da Previdência   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Política   /    Juventude   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar