CRISE PARA QUEM?

Governo gasta R$ 480 mil em comida e flores para gabinete de Temer

Enquanto a população sofre com os ajustes e economiza no orçamento doméstico, o Palácio do Planalto abriu licitações para realizar compras de comida estimada em R$ 137 mil, e de flores, no valor de R$ 341 mil, para decorar eventos e gabinetes e até futuros funerais. As duas licitações abertas preveem, juntas, gastos de quase 480 mil reais.

segunda-feira 26 de junho| Edição do dia

O governo irá às compras para abastecer o gabinete de Michel Temer de alimentos e de flores. As duas licitações abertas há alguns dias preveem, juntas, gastos de quase 480 mil reais.

Não é a primeira vez que Temer abre licitações milionárias em detrimento das condições de vida da população, que só pioram. Ano passado o Palácio do Planalto abriu uma licitação para realizar compras de comida para abastecer o avião presidencial, e o valor previsto para ser gasto era, no total, de 1,75 milhão de reais. Depois de grande repercussão e revolta nas redes sociais, o governo voltou atrás e decidiu cancelar a licitação.

No pregão de registro de preços de comida, a Presidência estima gastar 137 mil reais em itens como café, chá, leite, achocolatado, geleias, biscoitos doces e salgados, refrigerantes e sucos integrais. O edital lista, por exemplo, o fornecimento de 5 kg de figo seco, custando 329 reais no total, 5 mil barrinhas de cereal pelo preço total de 3.500 reais e mais 39 mil garrafas de 1, 5 litro de água pela bagatela de 50.310 reais.

Tudo isso em um cenário de cortes profundos nos gastos públicos. A justificativa da falta de dinheiro nos cofres públicos é usada para atacar a previdência e os direitos trabalhistas, rifar serviços públicos, mas aparentemente não serve para limitar os altos gastos de Temer com comidas caras e flores para enfeitar eventos e seu gabinete pessoal.

Serão adquiridas também "flores nobres, tropicais e de campo", pra serem usadas em eventos que contarem com a presença do presidente, de ministros e de autoridades estrangeiras. Além de arranjos de flores para o gabinete pessoal do presidente, para as residências oficiais e as representações regionais. Ao todo serão 1.173 arranjos de flores, como orquídeas, rosas e lírios. O valor total da contratação, de 341 mil reais, inclui também os serviços de manutenção das plantas. E a Presidência vai além, serão orçadas ainda 32 coroas fúnebres, para o caso de "falecimentos de autoridades", com valores ainda não estipulados.

Todo esse dinheiro que a presidência esbanja em artigos de luxo para consumo de poucos privilegiados expressa de maneira gritante como o modo de vida dos políticos está em contradição com a vida de um trabalhador comum. Ao ponto de, em um momento de crise, em que todo tipo de ataque é descarregado nas costas dos trabalhadores com a justificativa de que não há dinheiro sequer para manter direitos como a aposentadoria, Temer achar justo que se gaste centenas de milhares do dinheiro público para compra de inúmeras comidas caras e flores decorativas.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    crise econômica

Comentários

Comentar