CORTES DE TEMER

Governo estuda aumentar contribuição de servidor para pagar compra de votos

terça-feira 15 de agosto| Edição do dia

O servidor público federal está na mira de mais ataques por parte do governo Temer. A equipe econômica estuda o aumento da alíquota previdenciária para tapar o buraco dos gastos com isenções fiscais aos capitalistas, a dívida pública e a compra de deputados com emendas parlamentares e negociatas de todo o tipo.

A medida aumentaria a contribuição previdenciária, de 11% para 14%, retirado do salário do servidor para o regime próprio de servidores públicos federais. A medida seria uma maneira mais fácil de ataque para o governo, porque se trataria de uma lei ordinária, podendo ser aplicada através de Medida Provisória.

A equipe econômica comandada pelo secretário da fazenda Henrique Meirelles calculou que a medida reteria R$ 1,9 bilhões do salário do servidor para pagar a conta, por exemplo, das empresas capitalistas devedoras da previdência que nunca são cobradas. Não poderia ser diferente, afinal, entre outras coisas Meirelles já foi parte da direção da JBS, uma das que mais deu calote na previdência, devendo R$ 2,39 bilhões.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Educação

Comentários

Comentar