Internacional

Governo americano prende 600 pessoas em manifestação contra sua política anti-imigratória

sexta-feira 29 de junho| Edição do dia

Um protesto com quase 600 pessoas marcou nessa última quinta-feira o Senado americano em Washington. Com uma maioria de mulheres os manifestantes ocuparam o prédio do Senado contra a escandalosa política xenófoba e anti-imigratória de Trump, que chocou o mundo nas últimas semanas, tendo como ápice o enjaulamento de crianças imigrantes separadas de seus país.

Vestidos de branco e enrolados em cobertores prateados, parecidos com os que foram dados para as crianças nas jaulas, os manifestantes gritavam "falem alto, falem claro, imigrantes são bem-vindos aqui".

Já no inicio do protesto e ocupação do Senado os policiais avisavam que se utilizariam da força para acabar com a ação e que os manifestantes seriam presos. Logo depois os quase 600 manifestantes foram enfileirados e tiveram seus cartazes e cobertores prateados confiscados, sendo levados em seguida para a detenção.

Em nota, a Polícia do Capitólio informou que os manifestantes presos foram indiciados por manifestação ilegal e que seriam processadas no local e soltas.

Com as mulheres a frente os manifestantes passaram antes da ocupação do Senado no hotel de luxo que o presidente americano Donald Trump é proprietário para cantar alto que o presidente e sua política racista são uma "Vergonha! Vergonha! Vergonha!"

A Marcha das Mulheres, movimento iniciado em 2017 quando Donald Trump tomou posse com manifestações pelo país com centenas de milhares de pessoas, convocaram o ato e ocupação do Senado na semana passada. Em nota divulgada pelo movimento, as mulheres afirmam que irão se colocar na linha de frente para exigir o fim desta política que criminaliza imigrantes sem documento e que separa famílias. "Este é um momento decisivo que irá moldar nossa geração. Precisamos ser ousadas, estratégicas. Não podemos ficar em silêncio", afirma o movimento que repudia por completo o enjaulamento de crianças e criminaliza seus pais.

O grande destaque das mulheres americanas na luta contra o racista Trump se contrapos ao destque que outra mulher teve na última semana. Melania Trump, primeira-dama americana, fez questão de mostrar como o governo americano se orgulha de sua grotesca política racista, violenta e xenofoba contra os imigrantes, usando um casaco escrito "eu realmente não me importo" para vistitar as crianças presas em jaulas.

Essa diferença mostra como o movimento encabeçado pelas mulheres americanas em defesa dos imigrantes é uma expressão do sentimento anti-Trump, que pode mais uma vez incendiar o país, já que a Marcha de Mulheres esta chamando para este sábado, 30, mais uma grande marcha contra o governo americano.




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Xenofobia   /    Donald Trump   /    Refugiados   /    Internacional

Comentários

Comentar