Internacional

TRUMP

Trump leva crianças a dormirem no chão em gaiolas de metal, separadas dos pais

Mais de 1,1 mil pessoas estavam dentro da instalação ampla e escura, dividida em alas para crianças desacompanhadas, adultos sozinhos e mães e pais com filhos. As gaiolas de cada ala têm acessos a áreas comuns e banheiros químicos. A iluminação fica constantemente acesa. Essa é a realidade da criminalização da imigração nos EUA.

terça-feira 19 de junho| Edição do dia

(Foto: UNITED STATES CUSTOMS AND BORDER PROTECTION/VIA REUTERS - 17.06.2018)

Cerca de 2,3 mil crianças foram tiradas de seus pais desde que o secretário de Justiça, Jeff Sessions, anunciou a nova política anti-imigratória nos EUA, determinando que os funcionários do Departamento de Segurança Interna encaminhassem todos os casos de entrada ilegal nos EUA para serem processados criminalmente. Uma calamidade em especial para as crianças, que são abandonadas em gaiolas de ferro, sem comida, usando folhas de alumínio para se aquecer com a prisão de seus pais.

Dentro de um armazém antigo no sul do Texas (EUA), centenas de crianças esperam, dentro de gaiolas de metal. Uma das celas era ocupada por 20 crianças. Garrafas de água, sacos de batata frita e grandes folhas de papel, que servem de cobertores, se espalham pelo lugar.

Segundo a Patrulha de Fronteira, cerca de 500 menores no local estão acompanhados pelos pais, mas outros 200 estão sozinhos. Muitos dos adultos que cruzam a fronteira sem permissão podem ser acusados de entrada ilegal e levados presos, sendo separados de seus filhos. Histórias se espalharam de menores sendo arrancados dos braços dos pais, e estes incapazes de saber para onde seus filhos foram levados.

No Vale do Rio Grande, no Texas, que é o corredor mais movimentado para aqueles que tentam entrar nos EUA, funcionários da patrulha argumentam que precisam reprimir os imigrantes e separar os adultos das crianças para desencorajar outras pessoas "Quando você isenta um grupo de pessoas da lei, isso cria um atrativo", justificou o chefe da patrulha, Manuel Padilla.

A repressão aos imigrantes, política histórica dos EUA, acompanha a ofensiva protecionista na economia por parte do governo, descendo os portões da economia enquanto criminaliza os que tentam atravessar a fronteira. A situação das crianças abandonadas revela a monstruosidade dessa política, ainda mais frente a uma ofensiva que o país yankee tem protagonizado contra as economias emergentes, como o México, atacando a moeda, desestabilizando sua economia para aumentar o saque dessa economia, mesmo que signifique uma ampliação da miséria no continente.




Tópicos relacionados

Donald Trump   /    Imigração   /    Internacional

Comentários

Comentar