Política

SAÚDE

Governo Temer quer mudanças que acabarão com o programa Farmácia Popular

segunda-feira 20 de novembro| Edição do dia

Sob o mesmo argumento falacioso de redução de gastos públicos, o governo Temer agora quer modificar o programa Farmácia Popular, que busca atender as populações pobres com medicamentos fornecidos pelo governo e com valores mais baixos nas farmácias populares. Nas farmácias particulares, as empresas recebem um reembolso baseado em valores pré-estipulados por uma tabela e são esses valores que o governo Temer quer modificar.

Ricardo Barros, ministro da Saúde, que já demostrou anteriormente estar aliado aos interesses dos grandes empresários das indústrias farmacêuticas e médicas, como quando se posicionou favorável às mudanças que aumentam o lucro das empresas fornecedoras de convênios médicos, defende que os preços devem ser redefinidos, tornando o programa mais lucrativo para os capitalistas.

Você pode se interessar: "Após sucatear o SUS, governo discute aumento do valor dos convênios médicos para idosos"

Já foram fechadas 400 farmácias populares e agora as mudanças devem tornar ainda mais reduzido o programa. A população que buscava tais farmácias para obter medicamentos que por fora desta via são caros e inacessíveis, como para hipertensão, diabetes, artrite, se encontra cada vez mais prejudicada. O que o governo Temer que fazer é fechar as farmácias populares, que distribuem os medicamentos de graça à população, e repassar para as farmácias privadas, modificando os valores de reembolso.

O governo Temer continua promovendo seus diversos ataques sobre a saúde pública, promovendo medidas que reforçam sua aliança com os setores privados que atacam a saúde em prol do lucro. Enquanto Temer alega déficit nas contas, promovendo cortes e ataques brutais como a Reforma Trabalhista, gasta bilhões comprando deputados para se salvar das acusações de corrupção.

Veja também: "Temer é salvo novamente após gastar R$ 12 bilhões comprando deputados"




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Saúde   /    Política

Comentários

Comentar