Educação

ENTURMAMENTO

Governo Sartori anuncia o fechamento de mais de 600 turmas no Rio Grande do Sul

Governador Sartori precariza ainda mais a educação revivendo a "enturmação" de Yeda

sexta-feira 20 de janeiro de 2017| Edição do dia

Já não bastasse a situação em que vivem os trabalhadores em educação no estado do RS, diante do parcelamento de salários sucessivo durante dois anos e ao mesmo tempo o parcelamento do 13º salário em 12 vezes como também o congelamento dos salários o governador Sartori dentro de uma política de sucateamento e descaso com a educação pública anuncia o fechamento de 600 turmas nas escolas do RS.

Segundo o governo esse fechamento de turmas é devido à baixa quantidade de alunos em algumas turmas. Ainda mais o argumento por parte do governo é de que com turmas mais lotadas não prejudica a qualidade de ensino, como também auxilia na socialização entre os estudantes.

Em entrevista ao Jornal do Almoço hoje dia (19) o secretário de educação do RS, defendeu que as turmas podem funcionar com o número mínimo de 16 alunos e máximo de 35 e usou o termo aglutinação para a política que está sendo implementada.

Sabemos muito bem o que está por trás dessa política do governo Sartori. Trata-se de precarizar ainda mais a educação pública, abrindo espaço dessa forma para demissões de professores, fechamento de turnos e até escolas.

Essa é a política educacional do governo mais odiado da história do RS e de tantos outros governos estaduais pelo país. Exemplo foi a tentativa de fechar escolas do governo Alckmin em São Paulo.

A lógica Brasil a fora dos governos de direita é essa: precarizar a educação como um todo, atacando os direitos dos trabalhadores em educação e sucateado o ensino público, abrindo margem para privatizações da educação.




Tópicos relacionados

Sartori   /    Porto Alegre   /    crise econômica   /    Crise gaúcha   /    Educação

Comentários

Comentar