Educação

PRIVATIZAÇÃO

Governo Bolsonaro planeja privatizar mais de 1.000 creches

segunda-feira 26 de agosto| Edição do dia

Não são só as empresas estratégicas e as universidades do país que estão na mira privatista de Bolsonaro e Paulo Guedes. Até as creches estão sendo passadas "no cobre" pelo governo. O plano, anunciado pela secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier, é oferecer para a iniciativa privada mais de 1.000 creches cujas obras não estão acabadas.

A empresa que aceitar este presente do governo poderá ainda, decidir sem depois de terminada a obra, venderá todas vagas destas creches de volta ao governo, ou se apenas parte delas, colocando-as no mercado.

Ou seja, na prática, os "vouchers" da educação se implementaria daí, à partir do PPI. Neste sistema, o governo primeiro investe na educação, e depois passa a gestão deste investimento para alguma empresa privada, e ainda, compra as vagas "de volta". Um grande presente para agradar os monopólios capitalistas da educação privada.

A justificativa, ou seja, a falta de verbas para terminar estas obras, vem dos próprios cortes do governo federal com o Ministro Weintraub, o "coach da privatização do ensino", tomando a dianteira. É todo um projeto de sucatear, contingenciar, para depois entregar a educação pública de bandeja para os tubarões do ensino, e depois comprar estas vagas de volta.

Leia mais: Weintraub admite que corte na educação foi usado para comprar parlamentares




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Educação

Comentários

Comentar