CORONAVÍRUS

Governo Bolsonaro aplicou somente 23,6% dos recursos para combater o coronavírus

Enquanto os trabalhadores e suas famílias sofrem diariamente com a situação de pandemia, desemprego, fome e trabalho precário, enquanto o Brasil agoniza com mais de 25 mil mortos e quase 1000 mortes por dia, enquanto o Brasil entra nas estatísticas como o segundo país com mais mortes no mundo, o governo ri da nossa cara e não aplica nem 1/4 da verba disponível para combater o coronavírus.

quinta-feira 28 de maio| Edição do dia

Dos R$ 34,4 bilhões prometidos pelo Ministério, somente R$ 8,1 bilhões foram usados efetivamente. É preciso lembrar que para empresas aéreas como a Gol, Azul e Latam, o governo imediatamente disponibilizou R$ 50 bilhões de reais. Fica explícito que no capitalismo a prioridade não são as vidas humanas, mas sim o lucro dos capitalistas.

São números como esse que vem à tona e tornam gráfico o desprezo dos governos pela vida e saúde dos trabalhadores e de toda população.

É também esse servilismo que permite ações como a reabertura da quarentena, que já vem mostrando resultado com aumento de 96% dos casos de coronavírus no Distrito Federal. Uma quarentena que, é preciso lembrar, não é nada planificada e que é garantida em base à repressão policial. Repressão essa que só se volta contra a classe trabalhadora.

Todos esses números devem ser a ponta do Iceberg, dado que não são realizados testes massivos nem pelo Governo Federal ou por governadores e prefeitos.

Além disso, a saúde está em colapso, a maioria dos estados já tem superlotação dos leitos, os profissionais da saúde não têm proteção adequada e faltam também EPI’s para a população de conjunto.

Porém, sabemos que não é por falta de dinheiro. É uma política consciente de precarização geral da vida da população, que é ameaçada por Bolsonaro a ter de pagar de volta os auxílios de 600 reais enquanto os grandes bancos receberam 1,3 trilhões do governo.

O ministério que desde o início da crise foi ocupado gradualmente por militares e agora se encontra sob as ordens do General Pazuello fazem parte de toda esse descaso e desprezo pelas milhares de vidas que se perdem e profissionais da saúde que estão sendo martirizados sem acesso EPIs, ou vítimas que morrem pela falta de leitos e respiradores, enquanto quase 80% da verba não foi utilizada.

É preciso dar uma saída independente da classe trabalhadora para essa crise, que é sanitária, mas também econômica, política e social. Mais do que nunca é urgente uma estratégia revolucionária pra derrotar Bolsonaro e Mourão, pilares desse regime que aprofunda a miséria e o sofrimento da população.

Leia o editorial do Esquerda Diario: Mais do que nunca é urgente uma estratégia revolucionária pra derrotar Bolsonaro e Mourão




Tópicos relacionados

Crise do Coronavírus   /    Governo Bolsonaro   /    Ministério da Saúde   /    Governo Federal   /    Saúde

Comentários

Comentar