Economia

COMBUSTÍVEIS

Golpistas querem preço mensal da gasolina bancado por mais subsídios

O governo golpista de Temer e seus assessores, diante da crise e do rechaço popular sobre os preços dos combustíveis avaliam retroceder e repensar o reajuste diário do preço da gasolina. Ainda não foi apresentado oficialmente o plano, mas assessores apontam novamente para subsídios públicos para manter o preço fixo no mês.

segunda-feira 4 de junho| Edição do dia

Não é novidade a variação do preço da gasolina nas bombas de combustível, mudando diariamente. A fórmula apontada pelo governo Temer como uma possível resposta é reajustar mensalmente, repassando os custos com base na variação do petróleo e do dólar. Caso ocorra o aumento do preço do petróleo durante o mês (como vem ocorrendo diariamente), o governo retirará dos cofres públicos para manter o mesmo preço e preservar o lucro dos capitalistas. Caso baixe o preço, irá aumentar os tributos.

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, já havia defendido um colchão tributário que incluisse não apenas o diesel, mas também a gasolina. Entretando, essa manutenção do preço será feita majoritariamente por subsídios do governo, alegando não ter espaço para criação deste colchão. O aumento constante do preço da gasolina continuará afetando a vida dos trabalhadores.

A portas fechadas Temer e demais golpistas seguem debatendo como utilizar os cofres públicos, retirando verbas de outras áreas, para tentar controlar os preços dos combustíveis e deixar intocável o lucro dos capitalistas. Ao passo que os planos de privatização da Petrobrás avançam e tornam ainda mais distante a solução do problema que atinge os trabalhadores de conjunto.




Tópicos relacionados

crise combustíveis   /    Privatização da Petrobras   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Crise da Petrobrás   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar