Política

REFORMA TRABALHISTA

Golpistas preparam decreto para aprovar trabalho intermitente e mais precarização

quarta-feira 7 de junho| Edição do dia

A primeira coisa a se saber é sobre o que se trata o trabalho intermitente, uma das propostas da reforma trabalhista. Na prática significa que o empregador poderá pagar o salário por meio das horas trabalhadas. Ou seja, caso seja da vontade do patrão que o trabalhador trabalhe menos horas e se dedique a um trabalho específico, ele terá o direito de determinar isto e estará amparado por lei para flexibilizar as horas de trabalho do trabalhador.

O relator da reforma trabalhista nas comissões de Assuntos Econômicos e de Assuntos Sociais do Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES) disse que está trabalhando em uma medida provisória sobre jornada de trabalho intermitente. Segundo o golpista tucano, não serão feitas alterações no texto original para que não seja necessário que os deputados tenham que apreciá-la novamente.

Então, afim de rifar os direitos dos trabalhadores a toque de caixa, o senador golpista sugeriu que Temer vete alguns pontos da proposta (não disse quais), e regulamente outros via medida provisória, como é o caso da jornada de trabalho intermitente. Saindo como medida provisória começa a valer como lei e precisa ser votada com urgência. Em meio à crise política de seu governo golpista, Temer pretende garantir que o texto entre e vigor e que seja pautado de todas as formas, pois é isso que a medida provisória garante.

Segundo Ferraço o texto passará pela comissão com vitória apertada. Pelo calendário, concluída a votação na CAE, Ferraço deve apresentar seu parecer na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) no dia seguinte. Depois da análise na CAS, a proposta ainda precisa passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de ir a plenário.

Construamos a greve geral do dia 30 em cada local de trabalho e estudo, para barrar Temer e todos os ataques. Não permitamos que os patrões, junto com essa casta de políticos que servem como negociadores dos lucros dos capitalistas acabem com os direitos históricos da classe trabalhadora. Que os capitalistas paguem pela crise!




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    PSDB   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar