Opinião

GREVE DA PETROBRAS

Golpistas, Folha e Globo criam farsa para atacar a greve dos petroleiros

terça-feira 18 de fevereiro| Edição do dia

A imprensa golpista soltou uma bateria de matérias reportagens tentando influenciar a opinião pública contra a greve dos petroleiros. Folha de São Paulo e as Organizações Globo ignoraram solenemente a greve dos trabalhadores da Petrobras que já completa 18 dias. Do dia para a noite, após o voto do juiz-ditador Ives Gandra em defesa da criminalização da greve, a imprensa decidiu então descobrir a existência da greve, com manchetes ultra-tendenciosas em defesa da privatização e dos interesses de grandes grupos capitalistas que estão de olho no petróleo brasileiro.

Reinaldo Azevedo, Folha, Globo posando de "opositoras" a Bolsonaro mostraram novamente aquilo que os unifica em um grande partido golpista, e o que os unifica é o ataque aos trabalhadores e ao povo pobre no Brasil. Em uma absurda análise da Folha, intitulada ’Greve de petroleiros associada a programa de privatizações sugere desorientação da esquerda’, Igor Gielow afirma que a luta dos petroleiros contra a privatização da empresa seria um passo equivocado que desmoralizaria o movimento petroleiro. Os jornalistas da Folha estão tão à vontade com o governo de Bolsonaro - fingindo estes serem a tal ’resistência democrática’ - que se dão ao papel de dar "conselhos" à quem trabalha todos os dias no ramo petróleo, produz grande parte das principais riquezas do país, e vivencia na pele o processo de sucateamento da empresa, com demissões em massa, ataques aos direitos trabalhistas dos petroleiros e o processo de venda de ativos (terminais, refinarias, fábricas, etc) para a iniciativa privada.

A tal "democracia" defendida pela Folha de São Paulo não vira nem a esquina, pois só são capazes de defender a liberdade de imprensa e de opinião quando sua jornalista é atacada pelos bandos reacionários, em uma grotesca demonstração do uso do machismo contra a imprensa por parte do bolsonarismo. Agora, quando é com os trabalhadores, estes não devem ter nenhum direito à liberdade de opinião e manifestação política segundo a Folha.

Leia também: CUT, CTB e esquerda precisam convocar atos de apoio à greve dos petroleiros em todo país

Uma greve de mais de 20 mil trabalhadores petroleiros, dos quais mais de mil estão ameaçados de demissão - com a empresa jogando famílias na rua - não deveria expressar uma opinião política segundo Folha de São Paulo, Organizações Globo e, claro, Ives Gandra. Não! Só quem pode emitir opiniões políticas são os grandes monopólios de comunicação - estes mesmos que atacam todas as greves dos trabalhadores defendendo a repressão, o autoritarismo do judiciário e as bombas e cassetetes da polícia para cima de trabalhadores.

A imprensa golpista ataca a greve dos petroleiros chamando esta de "corporativista" por ser contra a privatização da empresa, dizendo que corporativismo seria um trabalhador lutar para que não seja demitido injustamente. Teme quando os trabalhadores criam consciência de que não podem ser descartados como se fossem peças que se repõe em uma máquina, que se joga fora quando não precisa mais. Lição de anti-corporativismo deram os petroleiros, em diversos locais do país, distribuindo os botijões de gás de cozinho pelo preço que estes deveriam ser, sem os impostos abusivos cobrados do bolso do trabalhador. E na verdade, é apenas com a organização dos petroleiros, com uma Petrobras gerida pelos trabalhadores e controlada democraticamente pela população, é que se poderia suprir a demanda da população, com diesel, gasolina e gás de cozinha baratos.

Folha de São Paulo e Globo não passam da esquina em sua pseudo-oposição à Bolsonaro, pois estes apostam no ministro da Economia, Paulo Guedes, para que seja aplicado o programa defendido pela imprensa capitalista, programa este que foi defendido através de um golpe institucional, patrocinado pela imprensa, lado à lado com o homem que ajudou a eleger Bolsonaro, ministro Sério Moro. Folha, quem te conhece que te compre! E aliás, cada vez menos pessoas vem comprando...

O Esquerda Diário, ao contrário destes, vem acompanhando a greve desde seu primeiro dia, coletando depoimentos dos petroleiros, acompanhado suas assembleias e levantando apoio. Uma imprensa financiada pelos trabalhadores que produziu mais de 100 matérias sobre esta greve, cobrindo ela em todas as redes sociais. Apostamos nossas forças de ser o contraponto dos trabalhadores, dando voz para que estes falem em alto e bom som suas demandas, sem manipulações. Não acredite na imprensa golpista, siga a greve dos petroleiros pelo Esquerda Diário!

Leia mais: Petroleiros chamam ato no Rio nesta terça contra demissões e a privatização da Petrobras

A greve dos petroleiros se enfrenta com todo o aparato do judiciário que foi reforçado pela Lava Jato, pela imprensa golpista - pelo golpe institucional e pela prisão do Lula, momentos chave em que o judiciário se fortaleceu em seu autoritarismo - e se enfrenta também com a sanha pela militarização imposta por Bolsonaro. Bolsonaro nada mais é do que quem os golpistas tiveram que aceitar para não vir Lula. E assim, o pseudo-oposicionismo de Folha e Globo funcionam como uma espécie de "arreio" que você joga em cima do animal para controlá-lo - e exercem o controle para a implementação do programa de ataques à classe trabalhadora, privatizações e entrega das riquezas para potências imperialistas.

Igual à queima dos comunicados de demissão da Fábrica Nacional de Fertilizantes do Paraná - que está jogando na rua mais de mil famílias - os petroleiros devem fazer o mesmo com os "conselhos" de quem acordou ontem para a greve e que tem interesse de se infiltrar nela para destruí-la. Não acredite na imprensa golpista! Siga a greve dos petroleiros pelo Esquerda Diário!

Leia também: Por um comando nacional da greve petroleira com representantes de cada base




Tópicos relacionados

Petrobras   /    golpe   /    Golpe institucional   /    Privatização da Petrobras   /    Greve dos Petroleiros   /    Opinião

Comentários

Comentar