Política

CAIXA 2 BOLSONARO

Globo e Record se calam frente à denúncia de caixa 2 na campanha de Bolsonaro

Na madrugada desta quinta, 18, uma denúncia aponta que dezenas de milhões foram investidos ilegalmente por empresários para campanha via Whatsapp em favor do candidato Jair Bolsonaro. Apesar do escândalo ter alcançado grande repercussão nas redes sociais e ter sido divulgado por importantes jornais internacionais, as gigantes redes Globo e Record estão em silêncio sobre esta notícia em suas programações televisivas que alcançam milhões da população.

quinta-feira 18 de outubro| Edição do dia

A exatos dez dias da votação do segundo turno uma bomba eleitoral foi divulgada revelando que um grupo de empresários, entre eles o dono da Havan, investiu ilegalmente nada menos que 12 milhões de reais por contrato de compra junto às empresas especializadas em veicular informações via Whatsapp. Esses contratos servem para disseminar as chamadas “fake news”, que têm sido uma das principais ferramentas de campanha usadas pelo candidato Jair Bolsonaro nas redes sociais. De acordo com a Folha de São Paulo, que emitiu a denúncia, está sendo articulada por estes empresários e os assessores de Bolsonaro uma grande operação para disseminar notícias falsas em massa com conteúdo contra o PT às vésperas do segundo turno.

Essa verdadeira bomba eleitoral alcançou grande repercussão, estando entre os assuntos mais discutidos do Twitter com a hashtag #caixa2doBolsonaro, manchete de destaque dos jornais e sido divulgado internacionalmente pela Reuters e The New York Times. No entanto Globo e Record não veicularam a notícia em suas programações televisivas que alcançam milhões de pessoas. A doação de campanha de milhões ilegal feita por empresários em favor de Bolsonaro encontra respaldo no silêncio destas grandes emissoras e na conivência do Judiciário e TSE que vieram manipulando o processo eleitoral desde o início, arbitrando e atacando os direitos democráticos da população.

Essa fraude eleitoral é mais uma mostra de que Bolsonaro não é diferente dos políticos da ordem e seus métodos de corrupção, mas mostra que, assim como foi em seus quase 30 anos dentro desse sistema político e nos 10 partidos pelos quais passou, ele é uma de suas partes mais podres e reacionárias.

Os empresários, latifundiários, banqueiros e também a grande mídia, com o apoio do Judiciário manipulador, estão se unificando em torno da candidatura de Bolsonaro porque pretendem despejar os custos da crise capitalista, suas duras reformas e os ataques aos direitos, contra os trabalhadores e a população pobre.

A saída para enfrentar as fraudes de Bolsonaro e toda a sua campanha de extrema direita que odeia os trabalhadores, mulheres, negros, LGBTs, indígenas e pobres não está nas mãos da Justiça, que inclusive pela via do TSE e STF faz vistas grossas para a denúncia do caixa 2 de Bolsonaro.

Esta Justiça até agora veio dando inúmeras mostras de que escolheu o lado dos capitalistas e seus ataques, ao prender arbitrariamente Lula, retirar mais o direito ao voto de mais de 3 milhões de pessoas, vazar delação para influenciar a favor de Bolsonaro o primeiro turno e uma longa lista de manobras autoritárias. A estratégia eleitoral e judicialista do PT veio se mostrando completamente impotente para enfrentar os elementos mais reacionários que já se expressou de autoritarismo do judiciário, os ataques por parte dos setores bolsonaristas e toda a direitização que representa a candidatura de Bolsonaro.

A saída está na ação dos trabalhadores e oprimidos, com seus métodos de luta e organização em cada local de trabalho e estudo pela via dos comitês para enfrentar a situação colocada.




Tópicos relacionados

Comitês contra Bolsonaro   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar