Política

JUDICIÁRIO GOLPISTA

Gilmar Mendes promove Temer com dinheiro público em seminário de sua faculdade

quarta-feira 31 de maio| Edição do dia

A faculdade Instituto Brasiliense de Direito Público, da qual o Ministro do STF e presidente do TSE Gilmar Mendes é sócio, promoverá grande evento entre os dias 20 e 21 de junho com o patrocínio de 90 milhões dos cofres públicos, pela via da Caixa Econômica Federal, e terá a presença do presidente golpista Michel Temer , da ministra Carmem Lúcia e do homem de confiança do governo Temer, Alexandre de Moraes. Mais uma página da relação entre Mendes e Temer, bastante ilustrada por inúmeros episódios, como a viagem para Portugal.

A corte de Gilmar Mendes, TSE, volta a julgar a cassação da chapa Dilma -Temer no próximo dia 6 de junho, poucos dias antes do "7º Seminário Internacional de Direito Administrativo e Administração Pública - Segurança Pública a Partir do Sistema Prisional, realizado pelo IDP, do qual Temer é convidado de honra.

No site do evento os logos da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal aparecem em destaque como apoiadores do evento da faculdade de Gilmar Mendes, que vem afirmando que sua relação com Michel Temer não influencia no acompanhamento do caso da cassação da chapa do presidente golpista. Ainda assim o caso vem sendo postergado desde 2016 e com manobras que parecem blindar Temer, até que cumpra o objetivo que os une, as Reformas que atacam a vida dos trabalhadores.

O seminário patrocinado com dinheiro público e que envolve figurões do judiciário corrupto, por cinismo, tem como tema a Segurança Pública e o Sistema Prisional. Um seminário vindo justamente daqueles que condenam Rafael Braga por carregar um desinfetante na mochila e libera Joesley Batista, o presidente da JBS que comprou centenas de políticos, para viver tranquilo em seu apartamento de luxo em Nova Iorque.

Gilmar Mendes, representante da ala mais reacionária do judiciário sujo, defende que a sucessão de Temer seja feita pelas vias indiretas, para manter a "normalidade constitucional", mostrando que seu interesse defendendo a constituição de 1988 é apenas para que as reformas avancem sobre os ombros dos trabalhadores e que sua casta junto com os golpistas continuem usufruindo de dinheiro público para seus salários altíssimos e para financiar eventos reacionários como este do IDP.

Mais esse episódio mostra como o judiciário da Lava Jato e os golpistas estão ligados por seus interesses, e só serão superados pelos trabalhadores questionando a base constitucional, que dão as brechas e as margens de manobra que precisam para atacar, e impondo uma nova constituinte, dessa vez dos trabalhadores.




Tópicos relacionados

Gilmar Mendes   /    Michel Temer   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar