Política

FORÇAS ARMADAS

General faz ameaça ao STF e aos brasileiros caso Lula seja eleito

Para avançar contra o direito dos trabalhadores, General do exército faz ameaças de intervenção militar caso lula se candidate e seja eleito. Claramente colocando suas mangas de fora para tentar influenciar nas decisões do país e atacar mais uma vez um direito elementar como o direito ao voto.

terça-feira 3 de abril| Edição do dia

Desde o início do golpe, em 2016, cúpulas das forças armadas vem se posicionando politicamente nos rumos do país. No ano passado fez uma chantagem aos brasileiros dizendo se que não gostassem dos resultados das eleições, poderiam pensar em novas medidas.

Agora, com o objetivo de avançar sobre os direitos dos trabalhadores, descarregando em suas costas o peso da crise capitalista, o general de exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa coloca suas mangas para fora e ameaça o STF e os brasileiros com uma possível intervenção militar caso Lula se candidate e seja eleito. Um ataque direto ao direito democrático do povo poder decidir em quem votar. "Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá.” disse.

Além de ameaças, a alta cúpula já lançou 48 candidatos as eleições em 2018. Querem aumentar sua interferência política e sua bancada reacionária.

Lessa ainda atacou as caravanas eleitorais de lula dizendo que seu objetivo principal agora é impedir mudanças nas leis e prender Lula que "tem circulado livre e debochadamente por todo o território nacional, contando mentiras, pregando o ódio e a luta de classes." Deixando claro que seu inimigo de fundo não é Lula, mas a classe trabalhadora e que seu objetivo é a manutenção dos privilégios dos de cima em detrimento das condições de vida dos trabalhadores. Isso porque sequer o que Lula faz é apelar à luta de classes, muito pelo contrário chama a conciliação a burguesia e foi parte fundamental da manutenção desse regime durante seu governo.

Não podemos permitir que ataquem mais uma vez um dos direitos elementares da população como o direito de decidir em quem votar. Principalmente quando esse direito é retirado com o objetivo de atacar os direitos dos trabalhadores pelas mãos de um judiciário totalmente arbitrário aliado à interesses imperialistas. Precisamos de uma unidade na ação para vencer os ataques da direita golpista.

Leia também: Contra a prisão de Lula: pelo direito da população decidir em quem votar




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    Forças Armadas   /    Política

Comentários

Comentar