Internacional

CÚPULA IMPERIALISTA

G7: a polícia francesa reprimiu violentamente 15 mil manifestantes

A polícia francesa reprimiu violentamente neste sábado milhares de manifestantes que protestavam contra a cúpula do Grupo dos Sete (G7) em Hendaia, Irun e Baiona.

terça-feira 27 de agosto| Edição do dia

A manifestação contra o G7 (grupo de países mais poderosos do mundo) reuniu em torno de 15 mil nas localidades francesas de Hendaia e Irun. A quantidade de manifestantes superou a esperada pelo governo de Macron, apesar de haver preparado um operativo repressivo sem precedente.

A marcha, que ocorreu quase toda de forma pacífica, foi violentamente reprimida pela Polícia francesa com gases lacrimogênios e caminhões hidrantes.

A polícia também reprimiu a marcha na comunidade de Baiona.

Entre os manifestantes se encontravam grupos de coletes amarelos, sindicalistas e militantes políticos, que denunciaram a hipocrisia do G7, que reúne os líderes da França, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Alemanha, Japão, Canadá e Itália. Os manifestantes protestavam em primeiro plano contra a desigualdade, que hipocritamente pretendiam tomar os mandatários, mostrando que eles lutaram todo o último ano contra este flagelo, como é caso dos coletes amarelos que enfrentaram as reformas do governo de Macron e a extrema precarização de uma grande parte da população.

Muitas das consignas da manifestação tinham um tom anticapitalista, desde blocos de ativistas do meio ambiente até blocos partidários ou feministas. Entreos manifestantes dessas colunas, se destacou a presença da juventude, que se manteve mobilizada ao largo do ano denunciando as atrocidades que gera o sistema capitalista em relação às questões climáticas.

A polícia, que vigiou permanentemente a marcha mediante helicópteros e drones, atacou violentamente a multidão que estava dispersando ao final da manifestação. Apesar das desproporcionais medidas repressivas impostas à marcha pelo governo francês, com a ajuda dos estados vizinhos, se esperam novas mobilizações na região.




Tópicos relacionados

G7   /    Internacional

Comentários

Comentar