Educação

OCUPAÇÃO FSA

Fundação Santo André: Reflexões sobre a luta dos estudantes da FAFIL

Ocorreu nesta sexta (24/11) uma reunião com o diretor do prédio da FAFIL da Fundação Santo André às 15h em que este se comprometeu de que não haveria nenhuma punição ou repressão aos estudantes em luta da Fundação Santo André e que haveria a desocupação neste sábado (25/11).

sexta-feira 24 de novembro| Edição do dia

Os estudantes reunidos debateram e decidiram desocupar o prédio da FAFIL, ocupando o prédio da reitoria do centro universitário, a fim de dar início a um diálogo com os estudantes que são contra a ocupação da faculdade, a qual estaria impedindo o fechamento do ano letivo nos cursos da instituição, mas também estes alunos são contrários ao aumento abusivo das mensalidades.

A reitoria do Centro Universitário, mais uma vez, como denunciamos aqui demonstrou-se extremamente intransigente ao enviar um mandado de reintegração de posse do prédio da FAFIL, por fora de uma negociação com a direção da faculdade com os estudantes. Esta reintegração veio para garantir que a prova da FUVEST ocorresse neste final de semana no prédio da FAFIL, mas que é importante refletirmos que tem como pano de fundo o caráter que a reitoria e alguns professores visam que a Fundação Santo André possua, a de uma faculdade à serviço do filtro social do vestibular, que como sabemos não garante a entrada da juventude pobre e negra na universidade. Jovens que também merecem dar continuidade aos estudos no ensino superior, sabendo-se que ainda que o ensino público, tanto no nível fundamental quanto no médio é extremamente precário e não garante que os estudantes compreendam de fato conteúdos fundamentais de ciências naturais, conceitos básicos de biológicas e no aspecto das ciências humanas, a história dos negros não é contada sob o ponto de vista deles e não dos feitores e senhores de escravos, dos quilombolas, dos indígenas, dos trabalhadores do campo e não dos donos de terras e latifundiários.

Conforme Rafael Magrão do Diretório Acadêmico da FAFIL: "este caráter elitista, em que o ensino superior é privilégio de poucos, é o oposto do que os estudantes da Fundação lutam hoje e vem lutando desde 2007, de que o ensino superior de qualidade seja acessível aos filhos da classe trabalhadora e ao povo pobre, que seja possível também permanecer estudando durante todo o curso e que infelizmente os rombos orçamentários, a falta de repasse da prefeitura de Santo André e mais recentemente a aprovação da PEC dos gastos públicos levaram a este conflito atual.
Seguimos na batalha para negociar 0% de aumento, flexibilização dos acordos, abertura de todas as turmas e a garantia do ponto de todos os trabalhadores da FAFIL na perspectiva da garantia da Fundação pública, gratuita e a serviço de trabalhadores!!"

Todo apoio aos estudantes em luta da FAFIL na Fundação Santo André!




Tópicos relacionados

#FSA   /    Educação

Comentários

Comentar