CORONAVÍRUS

Frigoríficos de SC a todo o vapor: trabalhadores reclamam por medidas de proteção

Na cidade de Chapecó (SC) existem imensos frigoríficos da Sadia, Perdigão e Aurora, que empregam muitas pessoas de toda a região, inclusive de cidades do extremo norte do Rio Grande do Sul. Há semanas os trabalhadores vem procurando veículos de comunicação para denunciar suas condições insalubres de trabalho preocupados com a proliferação do coronavírus.

quarta-feira 1º de abril de 2020| Edição do dia

As empresas comunicam em seus sites que estão cumprindo todas as normas de segurança e recomendações contra o contágio, mas não é isso que relatam as trabalhadoras desesperadamente. Em vídeo publicado no Youtube ainda no dia 23, aglomerações de pessoas dentro das dependências da Aurora que emprega 5,5 mil trabalhadores, “os funcionários se reúnem, sem proteção, para a troca de roupas antes de um novo turno no frigorífico” e o “transporte dos trabalhadores para os frigoríficos de Chapecó - Aurora e BRF - ainda se dá em ônibus cheios e sem utilização de máscaras”.

A negligência desses patrões sedentos por lucro e mais lucro criará uma situação calamitosa de proliferação do coronavírus em toda a região onde a agroindústria emprega mais de 20 mil pessoas de várias cidades. A indústria da carne de Chapecó, entre os maiores centros de produção de proteína animal do mundo, iniciaram o ano de 2020 com o melhor desempenho histórico em volume de exportação de carne suína e de frango, segundo El País, com faturamento acima de 3 bilhões de dólares. Segundo Alzumir Rossari, dirigente sindical, os trabalhadores pedem principalmente à Aurora e à BRF a redução da produção em 70% mantendo apenas o mercado interno por alguns dias, mas as empresas ignoram mantendo a produção a todo o vapor pensando apenas nos seus lucros.

Segundo relatos de uma categoria majoritariamente feminina, os ambulatórios dentro da empresa ficam lotados de trabalhadoras e só mandam para casa quem apresenta febre. Uma trabalhadora relata que tem um filho que é do grupo de risco e está isolado em casa, e que teme contaminá-lo:

“Eu estou desesperada, não sei o que fazer. Eu tenho medo de contaminar meu filho”.

Assim como este, são inúmeros os relatos de desespero.

A BRF Foods dona da Sadia e da Perdigão literalmente com espírito de porco produziu e reproduziu um vídeo para seus funcionários com dizeres do tipo “O seu trabalho é tão importante quanto os serviços de saúde e outros que não podem parar”; “Seguir com dedicação”; “O time da BRF não para e a cada um de vocês nosso muito obrigado”; “Vocês são fantásticos”. Não é por menos, querem se manter com os bolsos cheios ao custo do trabalho árduo sob salários miseráveis desse setor sofrido que agora teme levar o contágio para suas famílias.

O desastre iminente, em um país que não realiza testes massivos para identificar os infectados ligado a essa patronal bolsonarista que ainda ignora a gravidade da situação sanitária em nome de seus lucros, poderá levar à infecção e morte de milhares. Algo precisa ser feito e não partirá desses burgueses cúmplices do contágio pandêmico.

Cabe aos trabalhadores e trabalhadoras se unirem, se organizarem e se revoltarem contra tal situação. Pelas suas vidas à frente da ganância capitalista. Diminuir a produção contra a vontade dos patrões e gerir por si mesmos as condições adequadas de trabalho para que se respeite as medidas necessárias para evitar o contágio de suas famílias. Tomar conta da produção e do livro de contabilidade das empresas, mantendo o abastecimento do mercado interno e ignorando os lucros patronais podendo reduzir o preço da proteína animal inclusive para que milhares de pessoas que estão na iminência da fome possam consumir carne, a exemplo dos petroleiros que durante sua greve vendiam gás a 38 reais denunciando a política de preços da Petrobras. Todo o apoio as trabalhadoras dos frigoríficos! O Esquerda Diário se coloca a disposição tanto das denúncias quanto de levar à frente uma política operária de combate ao coronavírus e das precárias condições de trabalho.
Nossas vidas valem mais que os lucros deles!




Tópicos relacionados

Coronavírus

Comentários

Comentar