Política

CRISE POLÍTICA

Frente ao aumento da impopularidade Temer lança mini pacote para estimular economia

Com as delações da Odebrecht aumentando ainda mais o nível de impopularidade do governo, Temer busca aprovar uma agenda positiva com “mini pacote” para estimular economia e neutralizar impacto das delações, incluindo o PPE que ataca os trabalhadores permitindo reduzir horas de trabalho e salário.

segunda-feira 12 de dezembro de 2016| Edição do dia

Segundo Rogério Rosso, líder do PSD, o governo deve lançar ainda nesta semana um pacote de oito medidas para geração de empregos e estimulo a economia. Rosso conversou com Michel Temer durante 20 minutos na tarde deste domingo, no Palácio do Jaburu. Assim eles querem manter 200 mil postos de trabalho investindo 1,3 bilhões. Trata-se de uma versão revista do Programa de Proteção ao Emprego (PPE), lançado pelo governo Dilma.

O PPE já era criticado durante o governo do PT, o programa permite a redução da jornada de trabalho em até 30% com redução de salário, na qual a metade do desconto no salário é bancada pelo fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Dessa forma o PPE também é chamado de “programa de proteção ao empresário” uma vez que permite que este reduza seu gasto com os funcionário, enquanto o governo garante metade do salário. Possibilitando assim que as empresas tenham mais lucros.

Com essa medida o governo busca acalmar o mercado e estancar a crise política aberta com as delações. O anúncio de que Michel Temer é feito dois dias depois do vazamento da delação premiada do ex - diretor de relações institucionais da Odebrecht. Em depoimento , o empresário afirmou que Temer pediu dinheiro em jantar com Marcelo Odebrecht e que parte destes recursos foi entregue ao amigo e hoje assessor especial da Presidência José Yunes.

De acordo com o líder do PSD, estas medidas já vinham sendo estudadas há cerca de um mês e os últimos detalhes devem ser acertados em um encontro com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Porém, a assessora de imprensa do ministro disse que ele continuara em São Paulo, onde cumpre agenda nesta segunda. Meirelles almoça com os dirigentes da Federação Brasileira de Bancos e participa da cerimônia de entrega de dois prêmios á noite.

O fato é que com o vazamento das delações premiada da Odebrecht, abre-se a possibilidade de Michel Temer não conseguir terminar o mandato. Assim, Temer acelera pautas para agradar os empresários e o imperialismo que estão descontentes com o seu governo com a demora nos ataques.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Operação Lava Jato   /    Política

Comentários

Comentar