Internacional

CATALUNHA

França não reconhece independência da Catalunha e se soma à pressão imperialista

A ministra de Relações Exteriores da França, Nathalie Loiseau, disse hoje que o país não irá reconhecer a Catalunha se a região seguir adiante e se declarar independente da Espanha.

segunda-feira 9 de outubro| Edição do dia

Em plebiscito realizado no último dia 1º, a Catalunha votou por sua secessão. Porém, o plebiscito não foi autorizado pelo governo e, por isso, a França questiona sua validade. Loiseau, que falou ao canal francês CNews, disse que se houver uma declaração, "será unilateral e não será reconhecida", e o governo catalão sofrerá isolamento e pressão externa.

O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, pretende discursar no Parlamento local na noite desta terça-feira às 18h (13h, no horário de Brasília) para debater a atual situação política e há chance de que nesse discurso seja declarada a independência, embora integrantes da coalizão governista aleguem que o gesto será meramente simbólico.

Localizada no nordeste da Espanha, a Catalunha é a região mais rica do país, concentrando 19% do PIB e tem cerca de 7,5 milhões de habitantes. Segundo Loiseau, a eventual declaração resultaria na retirada imediata da Catalunha da União Europeia, que é formada por 28 países. Por esse motivo que a burguesia imperialista vem pressionando contra a rebelião do povo catalão pela sua independência, assim como está instaurada uma "guerra econômica" dos bancos, que vem retirando suas sedes da Catalunha e migrando para outras regiões do Estado Espanhol.

É preciso defender o direito a autodeterminação do povo catalão, e que a classe trabalhadora e os setores populares tomem a frente desta luta democrática, como fizeram na greve geral de 3 de outubro. Pela constituição de uma república socialista dos trabalhadores na Catalunha.

Com informações da Agência Estado.

Veja também a declaração da Corrente Revolucionária de Trabalhadores e Trabalhadores, do Estado Espanhol, após o resultado do plebiscito: De “Votaremos” a “Ganhamos”: Catalunha e a profunda crise do Estado espanhol

Entenda a posição dos marxistas revolucionários sobre a independência da Catalunha: A autodeterminação da Catalunha, marxismo e revolução




Tópicos relacionados

Referendo na Catalunha   /    Catalunha   /    Internacional

Comentários

Comentar