×

Eleições presidenciais | França: 250 artistas e intelectuais, como Alain Badiou, assinam pela candidatura de Anasse Kazib

Em tribuna publicada no jornal independente francês, Mediapart, mais de 250 artistas, escritores, acadêmicos, sindicalistas e figuras de movimentos sociais como Assa Traoré e Alain Badiou assinam nota intitulada "Em uma eleição com racismo desenfreado, a ausência de Anasse seria uma derrota".

Lina HamdanEstudante de Artes Visuais na UFMG

quarta-feira 24 de novembro | Edição do dia

Nesta segunda feira, o jornal independente francês, Mediapart, publicou denúncia assinada por mais de 250 personalidade como Assa Traoré, Alain Badiou, Jok’Air, Rokhaya Diallo, Cédric Herrou, Frédéric Lordon, Aude Lancelin, François Bégaudeau e Alix Desmoineaux, declarando e chamando apoio à candidatura de Anasse Kazib para as eleições presidenciais na França.

Anasse é militante do Révolution Permanente (RP), pertencente à mesma organização internacional do Movimento Revolucionário de Trabalhadores no Brasil, e parte da rede internacional de jornais Esquerda Diário. Ferroviário de origem árabe, Anasse e seu grupo, junto a centenas de apoiadores, estão desde setembro em uma ampla campanha nacional (após a expulsão do RP no Novo Partido Anticapitalista (NPA)) para conseguir ultrapassar a difícil barreira antidemocrática francesa para conseguir ter o direito de se candidatar às eleições presidenciais.

Como dizem na nota publicada no Mediapart, não bastasse o processo altamente antidemocrático que quase impossibilita as candidaturas de pessoas ou organizações não financiadas por empresários, "desde setembro, a candidatura de Anasse Kazib para 2022 tem sido objeto de ataques violentos da extrema direita e tem enfrentado inúmeros obstáculos".

Anasse vem sendo alvo de milhares de ataques, sobretudo no twitter, com ameaças de morte e chamados por sua "remigração". A mídia burguesa se nega a dar qualquer visibilidade a essa ofensiva racista contra um candidato de origem árabe e figura que se tornou conhecida na França por sua atuação nas lutas da classe trabalhadora francesa, em particular contra a reforma ferroviária e da previdência.

No processo atual de pré-candidatura, Anasse vem sendo chamado por alguns de "anti-Zemmour". Zemmour é candidato de extrema-direita, ainda mais racista e xenófobo que Marine Le Pen.

Os apoiadores de Anasse denunciam a "recusa política de bancos e seguradoras de prestar serviços básicos para possibilitar a coleta de doações para a campanha", assim como o "apagão na mídia, a pressão sobre prefeitos para que recusem a assinar" por Anasse. Na França, para concorrer as eleições presidenciais, o candidato precisa recolher ao menos 500 assinaturas de prefeitos, que não podem assinar por mais de uma candidatura.

O que Anasse, candidato da esquerda revolucionária trotskista, vem enfrentando "é o oposto das condições favoráveis para a candidatura de Zemmour, que vem saturando o espaço midiático e político há meses, carregando consigo um discurso abertamente racista e xenófobo. Apesar de seus ultrajes reacionários e suas múltiplas condenações, sobretudo por injúria racial, o polêmico de extrema-direita vê caminho para as eleições presidenciais de 2022. Não parece importar que seus apoiadores sejam os mesmos que ameaçam Anasse Kazib".

Em defesa da candidatura de Anasse, seus apoiadores afirma que "eeu discurso encarna a sensibilidade de uma parte da população, que aspira à transformação de uma sociedade que somente promete desemprego em massa, precariedade, baixos salários e discriminação". E acrescentam: "Neste sentido, e sem necessariamente compartilhar seu programa e seu projeto, trazemos nosso apoio democrático para que Anasse Kazib possa concorrer. No contexto de uma eleição que algumas pessoas querem focar em temas de segurança, xenofóbicos e racistas, e diante dos obstáculos impostos à sua candidatura, acreditamos que partidos progressistas e parlamentares democratas têm a responsabilidade de facilitar o acesso às eleições presidenciais deste jovem trabalhador, de origem da imigração pós-colonial e habitante de um bairro de classe trabalhadora, que já conseguiu coletar mais de uma centena de assinaturas [de prefeitos]".

A nota é finalizada afirmando que "diante da virulência do discurso racista e anti-islâmico de Zemmour, de seus partidários e também de uma parte grande do campo político, não permitir que um candidato como Anasse Kazib, que quer contribuir com o debate sobre questões sociais e democráticas, participe dos debates eleitorais seria uma primeira derrota".

Veja aqui a nota completa no site do Médiapart.

Abaixo os primeiros assinantes da nota:

Alain Badiou, filósofo

Céline Beaury, jornalista

François Bégaudeau, escritor

Savine Bernard, advogado trabalhista

Saïd Bouamama, sociólogo, militante do FUIQP

Taha Bouhafs, jornalista

Youcef Brakni, Comité Justice pour Adama

Adrien Cornet, petroleiro CGT Total Grandpuits

Quentin Dauphiné, membro do comitê nacional da FSU

Thierry Defresne, delegado sindical central da CGT Total

Alix Desmoineaux, influenciadora

Rokhaya Diallo, escritora e diretora

Samir Elyess, Comité Justice pour Adama e antigo militante do MIB

Nicolas Framont, sociólogo

Jean-Bernard Gervais, jornalista, escritor

Robert Guédiguian, cineasta

Jok’Air, artista

Kaoutar Harchi, sociólogo, escritor

Cédric Herrou, presidente da DTC - Défends Ta Citoyenneté

Jean Hugon, dirigente estudantil, militante La France Insoumise

Raphaël Kempf, da Ordem dos Advogados de Paris

Reynald Kubecki, CGT Havre

Aude Lancelin, jornalista

Didier Lestrade, jornalista, escritor, fondador d’Act-up Paris

Geneviève Legay, militante altermondialiste, Colete Amarelo mutilado

Frédéric Lordon, filósofo

Henri Maler, universitário

Michel Mann, dirigente CGT Ferroviário em Mulhouse

Jérôme Marty, médico, presidente da UFML Syndicat

Elli Medeiros, artista, atriz et escritora

Mélusine, militante feminista e antiracista

Marwan Muhammad, escritor, estatístico

Mélanie Ngoye-Gaham, Colete Amarelo mutilado

Océan, ator e diretor

Ghaïs Ourabah, vice-prefeito de Ivry sur Seine

Stefano Palombarini, economista

Matthieu Renault, Professor-pesquisador na Université Paris 8

Denis Robert, jornalista

Jean-Marc Rouillan, antigo prisioneiro político, escritor

Saïdou SidiWacho, músico

Omar Slaouti, militante antiracista

Pierre Stambul, Union juive française pour la paix (UJFP)

Alessandro Stella, acadêmico e ativista

Aurélien Taché, Deputado, co-presidente dos Novos Democratas

Elsa Touré, Vice-Prefeita, Corbeil-Essonnes

Assa Traoré, militante anti-racista

Kevin Vacher, militante por moradia em Marselha

Dominique Vidal, jornalista e historiador

Nicolas Vieillescazes, editor

Sophie Wahnich, historiadora

Sasha Yaropolskaya, ativista trans-feminista, XY Media

Kamil Abderahman, animador

Gaye Abdoulaï, associação Lève-toi et marche à Sarcelles

Youssef Abid, trabalhador ferroviário em Le Bourget, Sud Rail Paris Nord

Lexie Agresti, escritora, apresentadora da conta Agresti agressivamente trans

Karim Ait Adjedjou, fotógrafo

Norman Ajari, filósofo, Universidade Villanova

Tania Akmanoglou, artista

Frédéric Albert, delegado do sindicato CGT, Total Energies Carling

Florence Allègre, militante do NPA

Sophie Almasan, professora aposentada

Meïla Assani, estudante de doutorado na Universidade da Ilha da Reunião

Jean Asselmeyer, cineasta

Rabha Attaf, repórter, especialista no Magrebe e no Oriente Médio

Anthony Auguste, trabalhador ferroviário, Sud Rail Paris Nord

Jean-Marc Ayed, maquinista de trem, secretário geral e fundador da CAT Tisséo

Fernande Bagou, ex-atacante da Onet-SNCF

Diané Bah, Coletivo Justice pour Ibo

Hadja Bah, Coletivo Justice pour Ibo

Thierno Bah, Coletivo Justice pour Ibo

Frank Barat, jornalista

Julien Barbagallo, músico

Jean Marcel Bardot, ex-militante do NPA

Jean-Pierre Bastid, cineasta

Céline Beaury, jornalista

François Bégaudeau, escritor

Emma Bell, professora universitária, Universidade Savoie Mont Blanc

Feïza Ben Mohamed, jornalista

Hicham Benaissa, Sociólogo

Farid Bennaï, sindicalista, militante da FUIQP

Soumya Bensidhoun, professora, membro do sindicato FO

Sophie Bourgade, professora associada da Universidade Savoie Mont Blanc

Fatima Benomar, militante feminista

Ahmed Berrahal, CGT RATP Bus

Nathalie Bertrand, AESH, militante da Place Publique

Eric Bezou, trabalhador ferroviário demitido pela SNCF

Corinne Billard, professora e editora

Mariève Bodou, militante do NPA

Julien Boelaert, professor de ciências políticas, Universidade de Lille

Matteo Bonaglia, advogado da Ordem dos Advogados de Paris

John Borges, CGT RATP, militante e eleito PCF

Saïd Bouamama, sociólogo, militante da FUIQP

Ahmed Boubekri, militante dos bairros populares

Taha Bouhafs, jornalista

Nordine Boukrida, trabalhador ferroviário, SUD Rail

Youcef Brakni, Comitê Adama

Rony Brauman, médico, ensaísta

Xavier Bregail, motorista SNCF, SUD Rail Paris Nord

François Brunel, advogado da Ordem dos Advogados de Bayonne

Alain Buch, vice-prefeito de Ivry

Sebastian Budgen, editor Verso Books

François Burgat, cientista político, Aix-en-Provence

Jérôme Cardon, secretário adjunto do sindicato da CGT Dresser-Rand em Le Havre

Philippe Caumières, professor de filosofia

Laurent Cauwet, editor, autor

Bernard Cavanna, compositor

Mousantene Chaïr, representante da Aero-piste Roissy

Marie-Laure Charchar, secretária CGT Blanchisserie CHU de Bordeaux

Adrien Cornet, CGT Total Grandpuits

Muriel Cosquer, aposentada, CGT Pôle Emploi Le Havre

Florent Coste, DS CGT Latécoère

Xavier Courteille, advogado da Ordem dos Advogados de Paris

Karim Dabaj, ferroviário no centro técnico de Landy, SUD Rail Paris Nord

Clément Dagorne, membro do sindicato CGT Cheminots

Michaela Danjé, coletivo Casos Rebelles

Serge Da Silva, ex-militante do NPA

Laurence De Cock, historiador, professor

Thierry Defresne, CGT Delegado sindical Total

Sameh Dellaï, professor, Paris 8

Fabienne Delouye, trabalhadora ferroviária, SUD Rail Paris Nord

Abdellatif Derradj, motorista de ônibus e delegado sindical em Kéolis Ormont

Serge D’Ignazio, fotógrafo, apoiador de Lutte Ouvrière

Thierry Defresne, CGT Delegado sindical Total

Christophe Demont, ferroviário em Le Bourget, SUD Rail Paris Nord

Baptiste Desesquelles, CGT SPBI

Alix Desmoineaux, influenciador

Denis Darmuzey, ferroviário da CGT e militante do NPA em Lyon

Rokhaya Diallo, escritor e diretor

Aly Diouara, executivo do serviço público

Manuel Divo, membro do sindicato CGT de Arkema, Moselle

Didier Dorzile, delegado da CGT, RATP Bus

Etienne Douat, sociólogo, Universidade de Poitiers, Edições La Dispute

Christian Drouet, aposentado Sud-Rail Paris Sud-Est

Marion Dujardin, professora do ensino médio, ativista da Sud Education 93

Vincent Duse, ativista aposentado da PSA Mulhouse, CGT

Khalid El Fanni, ativista da CGT, Novares Strasbourg

Medhi Elomri, ferroviário ETOF, SUD Rail Saint Lazare

Farid Errouihi, ferroviário da Aulnay-sous-Bois, SUD Rail Paris Nord

Samir Elyess, Comitê Adama e ex-ativista do MIB

Joanna Foliveli, ilustradora

Nicolas Framont, sociólogo

Dominique Gamblin, Sud santé sociaux 95

Clara Gandin, advogada trabalhista

William Gaune, professor da escola, Sud Educ 95

Simon Gazano, DS CGT Ateliers de Haute-Garonne

Gaëtan Gracia, CGT AHG (aeronáutica) em Toulouse

Laurent Godart, designer, professor

Jenny Grandet, CGT Safran Nacelles, Le Havre

Simone Grange, aposentada e militante do NPA

Kamel Guémari, fundador da Après M

Oumou Gueye, ex-grevista da Onet-SNCF

Caroline Guibet Lafaye, filósofa

Anaïs Guilet, professora, Universidade Savoie Mont Blanc

Olivier Guionet, trabalhador dos correios em Nantes, delegado da CGT

Aline Guyot, professora

François Guyot, militante do NPA, enfermeiro aposentado

Sylvain Grandserre, militante da educação

Simone Grange, aposentada e militante do NPA

Luca Greco, professor universitário, Universidade da Lorena

Stéphane Grombaud, ferroviário do centro tecnológico Landy, SUD Rail Paris Nord

Asmyna Hamadi, CGT Educ’action

Emilie Hanak, autora, compositora e intérprete

Anis Harabi, advogado da Ordem dos Advogados de Paris

Kaoutar Harchi, sociólogo, escritor

Xavier Hatterer, ativista da CGT, Leroy Merlin Mulhouse

Baradji Hatoumina, associação Lève-toi et marche em Sarcelles

Stéphane Hauguel, CGT Le Havre

Laurent Hérody, militante dos trabalhadores ferroviários da CGT de Bayonne

Jean Hugon, militante da La France Insoumise

Pierre Jasinski, trabalhador ferroviário, Sud Rail Moselle

Jok’Air, artista

Aicha Jounaïdi, professora

Éric Kanoun, ativista da CGT, Décathlon Mulhouse

Almamy Kanouté, ativista dos bairros populares

Mara Kanté, ativista dos bairros populares

Nordine Kebbache, delegado da CGT Transdev Roissy

Raphaël Kempf, advogado da Ordem dos Advogados de Paris

Rozenn Kevel, trabalhadora demitida pela Chronodrive e militante da CGT

Nourdine Khaled, conselheira municipal de Ivry

Moustapha Khnagui, sindicalista da Força Ouvrière SKF Avallon

Guillaume Konrad, trabalhador do esgoto da cidade de Paris, Force Ouvrière

Théophile Kouamouo, jornalista

Reynald Kubecki, CGT Havre

Mornia Labssi, ativista da CGT no Ministério do Trabalho

Émilie Lagiewka, delegada da CGT SIAP, militante feminista

Dominique Lagorgette, professor universitário, Universidade Savoie Mont Blanc

François Lagleize, CGT La Roche-sur-Yon

Émilie Lagiewka, delegada da CGT SIAP, militante feminista

Philippe Lamarre, trabalhador ferroviário no centro técnico de Landy, SUD Rail Paris Nord

Nicolas Lambert, ator, dramaturgo e diretor

Aude Lancelin, jornalista

Daniel Lartichaux-Ullmann, professor, emancipação da FSU e UJFP

Mélanie Le Balch, CGT Harfleur

Lidia LeBer Terki, diretora e roteirista

Philippe Lebourg, Presidente do CGT Conseil de Prud’hommes du Havre

Claude Leclercq, delegado da CGT, Auchan Retail Logistique Amiens

Elise Lecoq, professora de história e geografia, ativista da SNES 93

Inès Lee, influenciadora

Geneviève Legay, ativista antiglobalização, Colete Amarelo mutilado

Yann Le Huerou, professor de Educação Física, ativista ambiental

Fabienne Le Jeannic, ex-militante do NPA

Gwladys Lemay, professor de ciências em La Réunion

Gwennaëlle Lemay, professora, Sud Educ 95

Géraldine Lemay, diretora escolar, Sud Educ 95

Aline Leroux Apei Moselle, sindicalista da CGT

Didier Lestrade, jornalista, escritor, fundador do Act-up Paris

Kathy Levesque, CGT Harfleur

Daniel Levyne, ex-militante do NPA

Venus Liuzzo, editor e co-fundador da XY Media

Clémence Longchal, professor de Economia e Ciências Sociais e militante do SNES 93

Marc Lorandin, secretário da CES de Sidel

Frédéric Lordon, filósofo

LouizArt, fotógrafa

Fida Maalem, delegada da CGT SIAP, feminista e ativista ambiental

Tal Madesta, jornalista

Florian Maillot, professor no CPGE, La Réunion

Henri Maler, acadêmico

Rémi Malick, DS CGT Le Piston Français

Michel Mann, secretário dos trabalhadores ferroviários da CGT em Mulhouse

Elsa Marcel, advogada em direito do trabalho

Christine Marchetti Hakani, professora de francês, membro do sindicato FO

Jérôme Marty, médico, presidente do Syndicat da UFML

Valérie Massadian, cineasta

Mathilde, artista feminista e compositora

Odile Maurin, ativista anti-validista, conselheiro municipal e metropolitano em Toulouse

Ratiba Meddas, conselheira municipal de Ivry

Elli Medeiros, artista, atriz e autora

Nageia-Wynnessa Mekkaoui, Transdev, UST Solidaires

Mélusine, feminista e ativista anti-racista

N’dona Melza-Samba, AESH

Richard Metayer, delegado da CGT Sidel

Toure Mohamed, associação Lève-toi et marche à Sarcelles

Aude Mokrane, jornalista, fundadora da associação Lève-toi et marche e da mídia La parole est à vous

Charlène Morel, estudante de doutorado na Universidade de Estrasburgo

Cynthia Mouyombo, assistente de cuidados, saúde privada

Nancy Murillo, cantora e musicista colombiana

Roumana Nguyen, AESH, Sud Educ 95

Mame-Fatou Niang, conferencista

Nirinine, youtuber

Naomi Nittel, músico

Olivier Noël, Universidade Paul Valéry Montpellier

Panivong Norindr, Professor de Literatura, Universidade do Sul da Califórnia

Océan, ator e diretor

Jean Joseph Omrcen, Sud Spectacle - Opéra de Paris

Rachid Oussanssam, eleito representante da SUD Rail no centro técnico da SNCF Châtillon

Stefano Palombarini, economista

Ndella Paye Diouf, ativista anti-racista e afrofeminista

Emmanuelle Paga, fotógrafa e vídeo maker

Diane Perrey, professora de história e geografia, ativista da CGT Educ Action

Evelyne Perrin, ativista da Stop precariousness e LDH

Aurélien Perrot, motorista SNCF em Trappes, CGT Cheminots

Elodie Petit, poetisa feminista

Pablo Pillaud-Vivien, jornalista da Regards

François Piquemal, conselheiro municipal em Toulouse, membro do grupo Archipel Citoyen

Politikement, Tik Tok e Instagram influencer

Fanny Pomper, psicomotricista

Christophe Poncet, professor

Christian Porta, CGT Neuhauser (Moselle)

Karine Prévot, ex-militante do NPA

Bernard Prieur, vice-prefeito de Ivry

Lissell Quiroz, historiador, professor da Universidade de Cergy

Foued Rahmouni, trabalhador comunitário

Tancrède Ramonet, cineasta e músico

Axel Renard, representante estudantil da Communauté solidaire des terres de l’Est de Mulhouse

Matthieu Renault, professor-pesquisador, Universidade de Paris 8

Jacques Richer, CGT Finances Publiques, Le Havre

Joyce Rivière, poetisa-escritora trans-feminista

Camille Rivron, professora de francês, Sud Educ 95

Denis Robert, jornalista

Alaixys Romao, futebolista internacional

Arnaud Ruscha, membro do sindicato CGT, Arkema, Moselle

Maité Safy Vodounnou, clínica geral

Saïdou, rapper (SidiWacho)

Ghassan Salhab, vídeo maker

Adama Sanogo, funcionário público local

Annick Saurat-Richard, ex-militante do NPA

Xavier Sauvignet, advogado da Ordem dos Advogados de Paris

Christophe Schirch, delegado da CGT na indústria de subcontratação automotiva

Marina Simonin, editora de Les Editions sociales

Skalpel, rapper

Omar Slaouti, ativista anti-racista

Boualem Snaoui, sindicalista e ativista político anti-racista

Fred Sochard, cartunista

Makis Solomos, professor de musicologia, Universidade de Paris 8

Guillaume Spiro, vice-prefeito de Ivry

Marie Scouarnec, CGT Nantes

Soumeya, rapper

Pierre Stambul, União Francesa Judaica pela Paz (UJFP)

Alessandro Stella, acadêmico e ativista

Daniel Stolla, obstetra aposentado

Francis Suner, Colete Amarelo de Marselha

Aurélien Taché, deputado, co-presidente dos Novos Democratas

Jérôme Tardivel, motorista e representante do sindicato da CAT Tisséo

Elsa Touré, Vice-Prefeita, Corbeil-Essonnes

Amor Trabelsi, ferroviário em Le Bourget, SUD Rail Paris Nord

Inan Turkan, Colectif Justice pour Ibo

Alix Sébastien, mecânico da Air France

Léo Simon, professor, ativista da ação educativa CGT 31

Fabien Truong, sociólogo

Maude Vadot, professora, Universidade Savoie Mont Blanc

Elsa Vallot, doutoranda da Universidade do Sul da Califórnia e autora

Pauline Vallot, professora, Universidade de Borgonha

Prisca Vandenmaagdenberg, professora, membro do sindicato Snuipp

Dominique Vidal, jornalista e historiador

Emilie Videcoq, advogada em direito do trabalho e do desemprego

Nicolas Vieillescazes, editor

Catherine Vincent, musicista

Luz Volckmann, poetisa

Albin Wagener, doutor HDR em ciências da linguagem

Sophie Wahnich, historiadora

Sabrina Waz, ativista e professora escolar em Aubervillers

Cyril Wolmark, Professor da Universidade de Paris Ouest Nanterre




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias