Política

REPRESSÃO À IMPRENSA

Fotógrafos são agredidos pela PM após gravar uso de armas contra manifestantes em Brasília

sexta-feira 26 de maio| Edição do dia

Um fotógrafo do jornal O Globo foi agredido pela polícia militar após gravar uso de armas de fogo durante a manifestação em Brasília contra as reformas de Temer. O fotógrafo da Agência EFE Joedson Alves registrou o momento em que um policial armado vai em direção ao fotógrafo André Coelho do O Globo. O Policial dispara sua arma em direção ao chão, e em seguida chuta André para derrubá-lo. O mesmo policial depois se dirigiu contra Joedson, dando-lhe um tapa na câmera.

André relata que estava gravando a atuação de alguns policiais que haviam sacado suas armas durante o protesto. Foi neste momento que André em seguida gravaria a polícia atirando com armas de fogo contra os manifestantes em Brasília no ato contra as reformas de Temer. O saldo da repressão foi um manifestante foi atingido por munição letal, que está sedado e respira por aparelhos, além de dezenas de feridos.

Esta é mais uma ofensiva do governo contra a liberdade de imprensa e de opinião, que é ameaçada tanto pelas gravações de jornalistas realizadas pela Polícia Federal, quanto o monitoramento de opinião nas redes àqueles que se opõe às reformas e criticam o governo afundado em denúncias de corrupção. Além disso, o cerceamento à liberdade de imprensa também serve ao governo para reprimir as manifestações

Veja as imagens do fotógrafo Joedson Alves da Agência EFE:




Momento em que o policial atira para o chão.



O policial se vira para Joedson que registrava tudo.

Abaixo reproduzimos parte do depoimento do fotógrafo André Coelho, publicado no O Globo:

"Eu e o fotógrafo Joedson Alves, da agência EFE, percebemos que um grupo de policiais militares havia sacado suas pistolas. Algo fora do padrão para manifestações que cobrimos aos montes. E as armas estavam apontadas para os manifestantes. Havia um fato a ser registrado.

Quando nos aproximamos para fotografar a cena, um dos policiais veio com a arma em punho. Primeiro na minha direção. De onde estava, Joedson pode registrar a abordagem e mais do que isso.

Ao perceber que o PM vinha armado na minha direção, só me restou gritar:

- Sou jornalista, sou jornalista!

Não adiantou muito. Ele respondeu se aproximando e dando um disparo em direção ao chão, perto de mim. Não satisfeito, me chutou. Atingiu minha perna. Ainda fora do controle, o policial partiu para cima de Joedson dando um tapa na câmera dele.

Ainda sob impacto da agressão, permaneci fotografando. O grupo de PMs estava ali acuado e alguns com arma em punho. Acionei o modo de filmagem em uma das duas câmeras que carregava.

E o restante nem preciso descrever. O vídeo relata melhor o que ocorreu: dois policiais disparando na direção dos manifestantes.

Dali, segui para o gramado central da Esplanada, onde manifestantes diziam que alguém tinha sido atingido por um disparo. Ainda consegui filmar um homem que sangrava que poderia ser a vítima. Não tenho como dizer de onde partiu a bala que atingiu aquele senhor. Mas já há registro suficiente para o caso ser apurado."

O depoimento foi retirado deste artigo do O Globo.

ASSISTA: [VÍDEO] Polícia atira com arma de fogo em manifestante em Brasília




Tópicos relacionados

#OcupaBrasília   /    Governo Temer   /    Política

Comentários

Comentar