Internacional

GUERRA IMPERIALISTA

Foto de bebê que perdeu um olho em conflitos na Síria viraliza e líderes fazem demagogia

Um bebê foi vítima de um bombardeio aéreo na Síria, que levou seu olho esquerdo e a vida de sua mãe. Ele foi fotografado por Amer Almohibany e virou um símbolo de ódio às guerras imperialistas. Os mesmos líderes que promovem essas guerras e massacres ao redor do mundo, demagogicamente se pretendem "os olhos de Karim".

quarta-feira 20 de dezembro de 2017| Edição do dia

O fotógrafo publicou o retrato do menino que perdeu o olho e um de si mesmo tapando o seu olho com mão em meados deste mês. Desde então a foto tem sido compartilhada por diversas pessoas nas redes sociais que publicam mensagens de apoio ao menino.

A intenção de Amer era promover uma campanha de solidariedade a Karim: "Tinha visitado a criança [...] e sua imagem me marcou antes mesmo de tirar a foto", explicou Amer, de 28 anos. "O objetivo da campanha é [...] fazer com que a voz dessa criança, que perdeu um olho e sua mãe, alcance o mundo", acrescentou.

Em 29 de outubro deste ano, na cidade de Hamuria, em Guta Oriental, Karim e sua mãe foram bombardeados após um ataque aéreo do regime de Bashar al-Assad. A Síria vive uma realidade complexa de disputa de poder tanto por parte do atual regime e de movimentos internos quanto de países como EUA e Rússia que disputam posições geopolíticas.

A realidade é muito parecida em outros países do oriente médio, onde o imperialismo norte-americano disputa com regimes totalitários internos e outros países que procuram influências e acesso a recursos naturais do território. Em meio à realidade caótica desse território, uma foto que choca e comove por conta do retrato duro desta realidade, mas que lideres imperialistas associam a necessidade de piorar o massacre nesse países.

Dentre as publicações, chama a atenção pelo nível de contradição a de Matthew Rycroft, embaixador do Reino Unido, membro do Conselho de Segurança da ONU, que postou uma foto cobrindo um olho no Twitter com os dizeres: “When we sit around the #UNSC & warn that inaction will mean more people are going to die. More schools bombed. More children scarred. This is what we mean. We must see an end to the bombardment & siege of #EasternGhouta.#SolidarityWithKarim” (“Quando nos reunimos no Conselho de Segurança da ONU para dizer que a inação resultará em mais pessoas morrendo, mais escolas bombardeadas e mais crianças assustadas é isso que queremos dizer. Nós devemos caminhar para o fim dos bombardeios e cercos na #GutaOriental, #SolidariedadeParaKarim”)

A mesma ONU que estupra e mata no Haiti, que bombardeia o Oriente Médio em busca de poder geopolítico, que invade ao seu bel prazer quaisquer territórios que, “coincidentemente”, têm importância para o domínio das potências que a dirigem, escolhe “ser os olhos de Karim”, tal qual é a proposta da campanha do fotógrafo, mas fecha os olhos para as barbaridades que a própria ONU promove tanto na Síria quanto em outros territórios em disputa.

Casos como de Karim servem para nos indignar com as ações do governo autoritário mas também com as ações das potências imperialistas e seu discurso demagógico de paz, que “se revolta” com os ataques do regime mas fecha as portas para os refugiados que chegam todos os dias na Europa, em razão de tantas outras guerras que eles mesmo promovem.




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    Guerra na Síria   /    Síria   /    Internacional

Comentários

Comentar