Juventude

AUMENTO EM PORTO ALEGRE

Fortunati mente, mas não convence

A passagem de ônibus e lotação em Porto Alegre aumentou e o governo, junto à EPTC, vem dizendo que a razão do aumento se deve à inflação, ao aumento salarial dos rodoviários e às novas frotas de ônibus equipadas com ar condicionado. Desde o início dos rumores do aumento da passagem, o Esquerda Diário foi buscar os verdadeiros interesses por trás desses 50 centavos a mais e descobriu que há muita coisa que não está sendo dita pelo prefeito Fortunati e pela EPTC.

terça-feira 23 de fevereiro de 2016| Edição do dia

Estatísticas do aumento

Para conhecermos a fundo a situação, a melhor coisa é ir aos dados. O reajuste da tarifa de ônibus representou um aumento de 15,38%, passando de R$ 3,25 para R$ 3,75. O da lotação foi ainda maior, indo de R$ 4,85 para R$ 5,60, significando uma elevação de 15,46%. O índice de inflação utilizado pela empresa para poder calcular os reajustes tarifários é o IPCA (índice de preços ao consumidor amplo) que registrou uma inflação de 10,70% nos últimos doze meses. Ou seja, entre os mais de 15% de aumento da passagem e os 10% de inflação, existe um espaço considerável que não é explicado nem pelo prefeito Fortunati (PDT) nem pela EPTC.

Como se não bastasse termos que pagar por um serviço que é público, esses 5% cai do bolso de quem utiliza o transporte público para trabalhar, estudar, lazer, etc. E se cai de algum bolso de alguém, é porque cai no bolso de outra pessoa. No caso, essas são as empresas de transporte que há anos lucram em cima do sofrimento da população em Porto Alegre.

Aumento salarial dos rodoviários tem a ver com o aumento da passagem?

Ao dizerem que o aumento da passagem se deve ao aumento salarial dos rodoviários, o prefeito e a EPTC buscam colocar a população contra a categoria que faz movimentar essa cidade todos os dias. Mas os dados desmentem novamente esse discurso. O salário dos rodoviários, ainda assim muito baixo, obteve reajuste de 11,87% este ano, bem abaixo do reajuste da tarifa e com um aumento real de míseros 0,5%.

Weber, da CUT e membro do Conselho Municipal de Transporte Urbano, diz sobre isso: "analisando o salário de um motorista por exemplo e o valor da passagem, desde 1994, pra cá, vemos uma categoria que foi assaltada e sempre ficou de “vilã” para a sociedade. O salário de um motorista em 1994 era de R$ 438,00 e hoje passa para R$ 2424,04, um acréscimo portanto de 453,43%. Já a passagem era R$ 0,37 e hoje R$ 3,75, portanto acréscimo de 913,35%. Como é possível observar estão distantes 459,92% da realidade tarifária"

E a nova frota?

Tendo em vista que o salário dos rodoviários praticamente acompanhou a inflação, e portanto não justifica esse aumento, a que se deve o aumento de mais de 15% da tarifa? A outra parte da explicação de Fortunati e da EPTC é a nova frota de ônibus com ar condicionados. Ele disse em entrevista para a Gaúcha Atualidade que vai haver ar condicionado "em 5 anos em toda a frota de transporte coletivo em Porto Alegre". Depois continuou dizendo que "todo ônibus que entrar em circulação, novo, que for substituído, terá ar condicionado". Mas essa não foi a realidade. A segunda-feira (22) mal começou e já pipocam posts no facebook desmentindo que toda a nova frota está equipada. Horas depois o presidente da EPTC, Capellari, teve que admitir a mentira.

Um outro absurdo é saber que os ônibus equipados com ar condicionados não são utilizados nas linhas que passam pelas vilas por algumas empresas. Sobre isso, Adailson rodoviário disse ao Esquerda Diário: "as empresas mandam recolher os ônibus com ar condicionado que eventualmente estejam em linhas que as empresas consideram de risco para o seu capital. Na zona sul, por exemplo, linhas como Santa Tereza, Cruzeiro, TV, entre outras que operam nas vilas, circulam apenas os carros antigos, muitos sucateados, vindos de linhas em que os ônibus são substituídos com certa periodicidade. Ou seja, para as periferias é sempre o "resto"."

Concluiu dizendo sobre a renovação da frota: "a renovação da frota que tanto o prefeito alardeia deveria acontecer mesmo que não houvesse licitação nenhuma, pois os ônibus substituídos até o momento são ônibus sucateados, alguns com até 13 anos de uso. Ou seja, nos últimos anos, sob alegação de incerteza com o futuro das empresas diante da licitação, acumulou-se uma "gordura" considerável nas finanças do patrão".

Os barões do transporte lucram às custas da população, mas a luta continua

A verdade é que quem tá se dando bem com esse aumento são as empresas de transporte. O único lugar em que a conta fecha é na cabeça do prefeito, porque a realidade mostra como a cada aumento da passagem, as empresas de transporte lucram mais. E no final das contas quem paga o pato é a população.

Mas em meio a um mar de mentiras e enganações, a população vai às ruas lutar contra o aumento, como foram nessa segunda-feira cerca de 1500 pessoas. Na ampliação dessa mobilização, devemos reivindicar que as contas das empresas sejam abertas para que todos saibam o que está sendo feito com o nosso dinheiro, bem como lutar para que nenhuma empresa privada lucre às custas da população, garantindo que essas empresas sejam estatizadas e colocadas sob controle dos próprios rodoviários e dos usuários.

A luta que estourou em Junho de 2013 pode retornar com ainda mais força este ano se a juventude e os trabalhadores se organizarem, barrarem o aumento, abrirem os livros de conta das empresas privadas, colocar sob controle dos trabalhadores toda a rede de transporte e estatizá-la. É preciso confiar nas nossas forças!




Tópicos relacionados

#contraoaumento   /    Porto Alegre   /    Aumento da Passagem   /    Juventude

Comentários

Comentar