8 DE MARÇO

Forte greve do 8 de março em todo o Estado espanhol

Com panelaços noturnos, piquetes e ações, a greve feminista começa com força no Estado espanhol e a nível internacional.

sexta-feira 8 de março| Edição do dia

Acompanhe minuto a minuto dessa grande greve no Esquerda Diário. Hoje nossas companheiras e jornalistas entram em greve e nós lhes falamos sobre isso.

Manifestação de mulheres atravessa as ruas de Valência

Um grupo de mulheres passa por um mercado em Valência durante a jornada de greve de 24 horas nesse 8M. Como em todo o Estado, greves, manifestações e concentrações acontecem em toda a comunidade valenciana para denunciar as discriminações trabalhistas e salariais, assim como as múltiplas violências machistas que as mulheres sofrem. Foto: EFE / Kai Försterling

Milhares de mulheres nas ruas de Pamplona

Milhares de pessoas, a maioria delas mulheres, concentraram-se esta tarde na Plaza del Castillo, em Pamplona, em apoio às demandas feministas. Muitas delas vieram para a mobilização no centro de Pamplona com cores, faixas ou guarda-chuvas roxos, para mostrar sua adesão à concentração. Fonte: Europa Press

"Ana Botín não é feminista", o canto das trabalhadoras da CGT em frente ao Banco Santander esta manhã em Madri

Madri: concentração de piquetes de CCOO e UGT em Cibeles

Zaragoza também se mobiliza pela greve do 8M

Cortejo de trabalhadores telepizza com os jovens de Contracorriente na Praça São Francisco. Abaixo a diferença salarial!

Protesto em bicicletas em Las Palmas de Gran Canaria

Como em várias cidades do Estado, também em Canárias centenas de mulheres protestam em bicicletas pelas ruas de Las Palmas. Foto: Efe / Elvira Urquijo A.

É assim que o ambiente é na Universidade Autônoma de Madri

Centenas de estudantes paralisam as atividades na UAM durante a jornada de greve da 8M.

Barcelona: As Kellys se somam com sua força à manifestação estudantil

Junto a estudantes e militantes do Pão e Rosas as trabalhadoras dos hoteis organizadas nas Kellys se somam à manifestação estudantil em Barcelona.

Massiva manifestação estudantil em Vigo

Centenas de pessoas se manifestam na Puerta del Sol em Madri

A manifestação convocada pela CCOO e sindicatos estudantis avança agora pela rua Preciados

Piquetes tentam impedir a abertura de lojas de departamento em Vitória

Agentes da Ertzaintza tentam impedir um piquete tentando fechar uma loja de departamentos no centro de Vitória. Foto: EFE / David Aguilar

Protesto de Las Kellys em frente à sede sede da patronal de Hotelaria em Barcelona

Las Kellys, junto com Pão e Rosas e ativistas solidários, cortaram a Via Laietana.

Piquete feminista contra Mercadona de Sants: a greve também é de consumo

A Universidade Autónoma de Madrid vazia, êxito da greve!

O sindicato CGT espera um seguimento da greve maior que no ano passado

A Confederação Geral do Trabalho (CGT), um dos sindicatos que convocou paralisações de 24 horas nesta sexta-feira pela greve feminista, 8 de março para a greve feminista, espera superar o dado das "seis milhões de mulheres" que segundo esta organização esteve na greve ano passado.

De acordo com a secretária de Mulheres da CGT, Vanessa Casado, em coletiva de imprensa realizada em Madri, às 10h, a incidência da greve ainda é alta em setores "feminizados" como educação, saúde ou telemarketing. "Embora este ano também tenha destaque o monitoramento em indústrias masculinizadas como o metal", disse ela.

A porta-voz do sindicato também destacou as paralisações no transporte urbano, onde "os serviços mínimos são percebidos e o tempo de espera é brutal", embora tenha criticado a "coerção" de algumas empresas aos seus trabalhadores antes do apelo à greve feminista. Fonte: Público

Muito cedo os piquetes começaram em frente à fábrica da Renault em Valladolid

Piquete móvel dos trabalhadores pela Gran Vía de Barcelona

"Ana botín, não é feminista"

Piquetes em frente à sede do Banco Santander em Madri. Denunciam demissões de trabalhadores da empresa.

Piquetes em Bilbao... a greve do 8M é sentida em todo o Estado

Barcelona: não à terceirização! Las Kellys contra a precarização no trabalho

Trabalhadores de Telemarketing e cuidadoras a domicílio, fazendo piquetes em frente ao McDonalds, no centro de Madrid

Piquetes de frente para El Corte Inglês em Euskal Herria

Barcelona, repressão dos Mossos d’Esquadra

Barcelona Mossos d’Esquadra despejam um grupo de mulheres que cortaram a Gran Via, em Barcelona, onde vários cortes de trânsito por parte de manifestantes foram chamados nesta manhã de sexta, por causa da greve do 8M, complicando o movimento pela Capital catalã e acesso à cidade. Foto: EFE / Quique García

Piquete da CGT em Callao, Madri, dentro do Starbucks

Piquete de Las Kellys em Barcelona, as camareiras que limpam os hotéis

Às 0:00 horas do 8M começava com muito barulho a greve feminista. Em Puerta del Sol, em Madrid, assim como em dezenas de praças de todo o Estado e bairros se produziam panelaços para anunciá-la.




Tópicos relacionados

8M 2019   /    Paralisação 8M   /    Mulheres   /    Greve   /    Movimentos Sociais

Comentários

Comentar