Sociedade

CAPITALISMO

Forbes de 2018 revela os 5 brasileiros que vivem de pisar em cima do resto do país

Enquanto a maioria da população sofre com as investidas neoliberais, que precarizam profundamente o trabalho e sucateiam serviços públicos mínimos por todo o mundo, a fortuna dos banqueiros, grandes empresários engorda, saltando 18% para 2.208 pessoas, contra 2.043 no ano passado.

quarta-feira 7 de março| Edição do dia

Jorge Paulo Lemann, Joseph Safra e Marcel Telles

Dados apresentados em revista empresarial dos Estados Unidos, a Forbes, revela que as desigualdades do mundo não só se mantem, como aumentam. A famosa lista de bilionários do mundo tem 42 brasileiros, onde os 5 brasileiros mais bem colocados detém riqueza equivalente à metade da população mais pobre da nação, de acordo com o relatório “Recompensem o trabalho, não a riqueza”.

Em escala global com uma fortuna estimada em US$ 112 bilhões, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, superou Bill Gates e figura no topo da lista das pessoas mais ricas do mundo em 2018.

Dentre os brasileiros, Jorge Paulo Lemann continua no topo do ranking. O que não deve ser novidade já segue ligado a 20 offshores em paraísos fiscais, fazendo fortuna com cerveja e ketchup. Acionista de grandes companhias, entre outras InBev (de marcas como Brahma, Antarctica, Stella Artois, Budweiser e Corona), Burger King e Heinz. Grandes empresas capitalistas, em geral tendem a reduzir a carga fiscal sobre suas receitas em planejamento tributário em paraísos fiscais. Ano passado envolvido no escândalo internacional da investigação jornalística Paradise Papers, que aliás todos os 5 mais ricos foram citados no esquema de paraísos fiscais.

A segunda posição é mantida pelo banqueiro Joseph Safra, do Banco Safra, que mantém a 36ª posição no geral global, com fortuna maior: 23,5 bilhões de dólares, ante 20,5 bilhões de dólares do ano passado. Seguido por Marcel Hermann Telles (14 bilhões de dólares) e Carlos Alberto Sicupira (12 bilhões de dólares) da Ambev, e Eduardo Saverin (10,1 bilhões de dólares), do Facebook. Um grupo seleto que crescem suas fortunas quando a maioria da população pena com uma dívida pública com esses e outros banqueiros internacionais, descontada na previdência e leis trabalhistas de milhões de trabalhadores.

E como não citar especialmente a família dona da rede Globo nessa lista, os Marinhos que ocupam da 8ª a 10ª posição dos empresários mais ricos do país. O governo golpista de Temer ajudou a que essa familia chegasse onde está, em troca de sua ajuda em difundir mentiras sobre as contrarreformas do seu governo, tal como a Reforma da Previdência, mas também a Trabalhista.

As desigualdades capitalistas não param somente no furto das riquezas produzidas, que mundialmente 82% foi parar nas mãos do 1% mais rico, mas também no gênero. Onde as mulheres são seis na lista de 42 nomes brasileiros. Não há nada a se comemorar com a presença dessas mulheres na lista que se sustentam nesse sistema de hiperexploração do trabalho para uma ampla massa de mulheres e perversa desigualdade social, que está longe de qualquer sinal emancipatório.

A crise capitalista joga ainda mais na miséria bilhões de trabalhadores globalmente, enquanto serve de catapulta para as fortunas de um grupo restrito. Esses dados alarmantes servem como confirmador da necessidade de mudanças radicais, ainda mais frente a um avanço do golpe em nosso país para aprofundar essa situação. É impossível superar essa brutal desigualdade que oprime todo o mundo sem derrubarmos o sistema de exploração que sustenta os órgãos de decisão da desses grandes empresários e banqueiros, resumidos no Estado e nas suas distintas “democracias” e ditaduras da burguesia pelo globo.

Top10 dos brasileiros mais capitalistas do ano, segundo a revista Forbes:

1. Jorge Paulo Lemann: US$ 29,2 bilhões
Dono de marcas famosas como Budweiser, Burger King, Heinz e sócio da Ambev.

2. Joseph Safra: US$ 20,5 bilhões
Libanês naturalizado brasileiro; banqueiro.

3. Marcel Herrmann Telles: US$ 14,8 bilhões
Sócio de Jorge Paulo Lemman na 3G Capital.

4. Carlos Alberto Sicupira: US$ 12,5 bilhões
Também sócio de Lemman na 3G Capital, além de ser sócio da Ambev e Lojas Americanas.

5. Eduardo Saverin: US$ 7,9 bilhões
Co-fundador do Facebook.

6. Ermirio Pereira de Moraes: US$ 3,9 bilhões
Filho de José Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim.

6. Maria Helena Moraes Scripilliti: US$ 3,9 bilhões
Filha de José Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim.

8. José Roberto Marinho: US$ 3,8 bilhões
Filho de Roberto Marinho, fundador da rede Globo.

8. Roberto Irineu Marinho: US$ 3,8 bilhões
Filho de Roberto Marinho, fundador da rede Globo.

10. João Roberto Marinho: US$ 3,7 bilhões
Filho de Roberto Marinho, fundador da rede Globo.

Confira neste link os grandes donos do mundo e de sua miséria




Tópicos relacionados

Capitalismo   /    Sociedade   /    Crise mundial

Comentários

Comentar