Política

MÍDIA GOLPISTA

Folha faz milagres estatísticos para mostrar apoio a Temer

No último domingo, dia 17 de julho, a Folha de São Paulo noticiou de forma fraudulenta a pesquisa que a Datafolha realizou. Essa fraude jornalística tem o objetivo de alavancar o golpista Temer.

quarta-feira 20 de julho de 2016| Edição do dia

A empresa Datafolha, um dos maiores órgãos de pesquisa de opinião do país, elaborou uma pesquisa de opinião visando saber qual seria o índice de aprovação popular de Temer no último período. Nela é apontado que cerca de 50% dos brasileiros preferem que Temer se mantenha como presidente até 2018 em contrapartida de 32%, que podem a volta imediata de Dilma para terminar seu mandato. Um fato curioso e não menos importante é que desde a posse do golpista Temer, o Datafolha não havia realizado nenhuma pesquisa de opinião sobre o golpe institucional, nem sobre um possível impedimento de Temer, e muito menos sobre a possibilidade de novas eleições para presidente.

É óbvio que isso demonstra um interesse da empresa de manter uma certa distância entre as pesquisas, para poder justificar uma brutal discrepância entre os dados da penúltima e a lançada no último domingo. Na pesquisa realizada em abril, os dados apontavam que cerca de 60% da população apoiava o afastamento de Dilma, enquanto 58% era favorável ao impeachment de Temer também. Além disso, a sondagem indicou que 60% dos entrevistados desejavam a renúncia de Temer após o impeachment de Dilma, e 79% defendiam novas eleições após a saída de ambos. Isso é importante ser posto, uma vez que demonstra nessa pesquisa que a maior parte dos entrevistados não confiam absolutamente em nenhum governo que estava no poder, embora ainda apontassem as esperanças em novas eleições, na democracia burguesa, que trocaria ambos em prol de saídas mais neoliberais ou de direitas só que legitimados pelo voto, tais como Aécio, Marina ou até mesmo Bolsonaro.

No entanto, os dados lançados pelo Datafolha no domingo às vésperas da votação definitiva do afastamento ou não de Dilma torna esse resultado (50% dos brasileiros desejam que Temer conclua o mandato) extremamente significativo. Igualmente surpreendente foi a afirmação apenas 4% disseram não querer nenhum dos dois presidentes, e somente 3% desejam a realização de novas eleições. Dessa forma, houve uma queda brutal no pedido de novas eleições por cerca de 75% da sociedade brasileira, o que é de estatisticamente muitíssimo improvável de acontecer. Uma revolução estatística ou na opinião pública!

Diversos sites de notícias já relatam a fraude na pesquisa realizada pela Folha, pois como já dito anteriormente, faz que as pessoas tenham a impressão de que metade da população é a favor da permanência de Temer, e uma margem muito pequena não apoia nem Temer nem Dilma. Reforçando o argumento de fraude na pesquisa, os dados completos e as perguntas elaboradas foram divulgados ontem. Com base neles, é evidente que a Folha de São Paulo cometeu uma fraude jornalística. Apenas 3% dos entrevistados disseram que desejavam a realização de novas eleições, e apenas 4% disseram que não queriam nem Temer nem Dilma como presidentes, porque nenhuma dessas opções de resposta encontrava-se disponível na pesquisa. Veja abaixo as perguntas realizadas:

Conforme o que foi apresentado acima é necessário que sempre que haja uma pesquisa dessa natureza, o leitor tome muito cuidado ao absorver algumas informações sem antes fazer uma análise crítica sobre o que está lendo. Ainda mais nesse momento de instabilidade política, na qual a mídia corporativa está alinhada com o atual governo na tentativa de legitimar as medidas por ele implementadas e planejadas.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar