CAMPANHA CONTRA A GREVE GERAL

Folha de São Paulo e Força Sindical mentem para tentar desmontar a greve do dia 30

O jornal paulista Folha de S. Paulo divulgou uma notícia falsa afirmando que as centrais sindicais cancelaram a greve geral do dia 30 de junho. Essa mentira é para tentar desmobilizar os trabalhadores e ajudar Temer a aprovar as reformas que nos atacam. É fundamental desmentirmos essa campanha da mídia patronal e seguirmos construindo nossos comitês para erguer pela base uma greve ainda maior que a do dia 28 de abril.

Felipe Guarnieri

Operador de trem da L1 azul do Metro de SP

sábado 24 de junho| Edição do dia

A matéria da Folha foi divulgada na madrugada desse sãbado, após a realização da reunião entre as centrais nessa sexta-feira, 23, que decidiu por um calendário unificado de mobilizações. Não houve nenhuma decisão de cancelar a greve, como diz a Folha.

Essa matéria mentirosa da Folha de São Paulo provavelmente foi acordada com a Força Sindical (FS), cujo interesse é preservar a negociação das reformas pelas costas dos trabalhadores com o Governo Temer, junto com outras centrais como a UGT e NCST. Além da mentira que foi divulgada de que o dia 30 foi cancelado, mais absurdo Ainda quando Juruna - secretário da FS - e o jornal Folha de SP colocam como responsáveis os metroviários, supostamente dizendo que são contrários à adesão.

A FS quer trair os trabalhadores, e usam a Folha para passar a fatura aos metroviários. Uma covardia e cara de pau tremenda, sendo que os metroviários estão entre as categorias que já realizaram assembleia e votaram o indicativo de greve para o dia 30, enquanto nos sindicatos dirigidos pela FS nem abriram esse tema com os trabalhadores de sua base, pois estão contra a construir a greve contra as reformas.

As principais centrais como a CUT e CTB, que estavam na reunião não podem ser coniventes com a traição da FS e esse método gângster, junto com a mídia burguesa, para desmontar a greve do dia 30. E o primeiro passo é transformar o discurso dos seus dirigentes a favor da greve em ações práticas na base para a construção da Greve.

Mais do que nunca a esquerda, principalmente a partir da central sindical CSP-Conlutas, deve ser exemplo nesse sentido, e deve fortalecer os comitês de base como alternativa à burocracia sindical traidora da Força Sindical e das demais centrais que querem negociar com Temer ao invés de lutar. Por isso reforçamos Ainda mais nossa campanha, para que nesse dia 30 os trabalhadores do transporte e das demais categorias tomem a greve geral em suas mãos, para vencer Temer suas reformas e impedir qualquer tipo de desviou ou traição da luta dos trabalhadores.

É por isso que o Esquerda Diário e o Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) estão construindo a campanha “Tomar a greve nas nossas mãos”, porque nesse momento é fundamental que façamos em cada local de trabalho nossos comitês para organizar a greve, para exigir dos sindicatos e das centrais que organizem a paralisação dos trabalhadores e convoquem assembleias.

Os trabalhadores em toda a parte têm demonstrado insistentemente que querem parar contra Temer e as reformas, e nós podemos e devemos transformar essa vontade em organização concreta para poder combater a campanha de mentiras que lança a Folha, e que certamente será feita pelos demais meios de imprensa dos patrões. Nós temos a força necessária para construir essa greve e exigir dos sindicatos que a construam também. Tomemos o exemplo do metrô, dos comitês que já vem sendo organizados em diversos locais e categorias, e construamos a greve do dia 30.




Tópicos relacionados

greve geral   /    Nossas vidas valem mais que o lucro deles   /    #30J   /    Greve geral   /    Mídia   /    Greve   /    Centrais Sindicais

Comentários

Comentar