Política

PARTIDO JUDICIÁRIO

Fim do foro privilegiado para cargos eleitos mantém juízes impunes por seus crimes

Num falso discurso contra a corrupção, fim do foro privilegiado fortalece o judiciário e mantém juízes intocados por seus crimes

sexta-feira 4 de maio| Edição do dia

STF determina o fim do foro privilegiado para senadores e deputados, o que não combate a corrupção e matem os privilégios dos juízes, que continuam não sendo investigados pelos seus crimes. O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) reagiu instalando nesta quinta-feira uma comissão especial para restringir o foro privilegiado também para juízes.

A medida aprovada pelo STF fortalece o partido judiciário que sequer é tocado pela medida e é favorável à arbitrária operação Lava-jato, porque mantém os juízes intocados e impunes por seus crimes.

Tanto a medida do STF, quanto a de Rodrigo Maia não são eficientes para o combate a a corrupção. O judiciário tem o interesse claro de aprofundar os ataques aos trabalhadores e privatizar estatais, claramente ligado a interesses imperialistas para garantir o lucro dos empresários.

A lava-jato e o combate a corrupção proposto pelo judiciário, que se fortalece com o fim do foro privilegiado apenas para cargos eletivos, não são eficientes para acabar com a corrupção do país, porque claramente vai em contrapartida aos interesses dos trabalhadores e da maioria da população. É necessário lutar para que os juízes possam ser eleitos e revogáveis pela população quando necessário, que todo juiz e político ganhe como uma professora, colocando em cheque os privilégios deles, e que todos os crimes sejam julgados por juri popular, atendendo assim os interesses da maioria da população.




Tópicos relacionados

Operação Lava-Jato   /    STF   /    "Partido Judiciário"   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar