Cultura

PSDB ATACA BANDA SINFÔNICA

Fim da Banda Sinfônica do Estado de SP pode ocorrer em 2017

quinta-feira 2 de fevereiro de 2017| Edição do dia

Segundo músicos Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, através de informação recebida do Instituto Pensarte, a banda poderia acabar em janeiro de 2017. Aguardando a votação do orçamento para avaliar se atacarão ou não a Orquestra Sinfônica, a Secretaria da Cultura do Estado afirma não ter feito nenhuma notificação e que o contrato com o Instituto foi prorrogado até abril de 2017.

Em nota, a Secretaria da Cultura do Estado diz que "ainda aguarda votação do orçamento da Pasta pela Assembleia Legislativa para avaliar se mudanças serão necessárias nos equipamentos e programas. A Pasta não fez nenhuma notificação sobre demissões ou extinção de corpos estáveis. O contrato com o Instituto Pensarte foi prorrogado até abril de 2017". Já o instituto diz que não se pronunciaria até que um estudo do orçamento aprovado na Assembleia Legislativa fosse realizado.

As orquestras Banda Sinfônica, Jazz Sinfônica e Orquestra do Theatro São Pedro geridas pelo Instituto Pensarte, tem tido cortes de verbas desde 2015, e implicaram na demissão de 17 músicos da Banda, 5 da Jazz Sinfônica, vagas eliminadas e profissionais das equipes de apoio dispensados.

Implicitamente, há uma política consciente do PSDB de acabar com a arte, como vem fazendo no caso dos grafites. Essas políticas diminuem drasticamente o acesso da população pobre à arte, considerando que muitas apresentações da Banda Sinfônica são feitas de graça, proporcionando oportunidades de o proletariado conhecer a música clássica. Além disso, a corrupção no meio político defasa o investimento em cultura, o que faz com que o governo de São Paulo entregue um dos poucos acessos da juventude pobre a arte nas mãos de Organizações Sociais, um meio que o Estado utiliza para investir menos neste setor, o que outras palavras significa uma forma de privatização da cultura.




Tópicos relacionados

Cultura

Comentários

Comentar