Cultura

CORONAVÍRUS

Ficção e História, Informação e Fake News

Publicamos aqui o texto de Afonso Machado.

Afonso Machado

Campinas

segunda-feira 1º de junho| Edição do dia

Um fabricante de fake news pousa de intelectual. Ele aborda um trabalhador na rua, e diz com paixão:

- A realidade é uma questão de opinião, é uma questão de vontade. A nossa vontade pela ordem e a nossa paixão pelo país, são as forças que movem as coisas. Você, meu caro trabalhador humilde e cristão, representa as mãos da nossa sociedade. O Estado representa o nosso cérebro, a vontade da pátria! Somos um único corpo! Temos que trabalhar juntos contra os esquerdistas malignos. Devemos caminhar juntos por essa terra Virtuosa, Bela e Plana.

O trabalhador coça o rosto com a barba por fazer. Rindo e desacreditando do fabricante de fake News, o trabalhador diz:

- Sei não... Sempre quando me atraso perco o ônibus. Quando eu acendo um fósforo por muito tempo, a chama queima o meu dedo. Se eu não prestar atenção e der com a testa naquele poste, ficarei com um baita galo na cabeça. Nada disso depende do que você chama de “vontade“. O mundo a agente sente na pele. O que eu sei mesmo moço, é que estou desempregado, não encontro serviço, e daqui há uma semana acho que não terei nem um osso de frango para jogar na sopa.

INFORMAÇÃO PRESSUPÕE FORMA

Construção formal para comunicar DADOS, EVENTOS, FATOS. Noticiar, transmitir conhecimento, ciência.

Fato: existem pessoas com fome. Posições decorrentes deste fato:

Fundamentalista religioso de Bom coração: - Quanta tristeza! A solução para este problema consiste em amor, solidariedade e fé.

Fundamentalista religioso raivoso: - Os famintos possuem uma inclinação natural para o mal. Sua salvação é uma questão individual.

Liberal: - Enquanto os famintos não se tornarem empreendedores, eles continuarão com fome.

Fabricante de Fake News: - O famintos são inimigos da pátria! Possuem uma inclinação natural para serem ladrões, marginais, assassinos. A fome é uma invenção dos comunistas.

Materialista Histórico: - É preciso compreender os mecanismos econômicos e políticos geradores da miséria. Se faz necessário apresentar as razões históricas que explicam a fome e lutar politicamente para atingir a causa da miséria, colocando fim nas desigualdades sociais.

Informar envolve compromisso com a veracidade dos fatos, com provas acerca das afirmações realizadas. Informar não significa relatar isoladamente um fato: é preciso situa-lo na história, relatar as motivações econômicas, políticas e sociais que constituem o seu movimento, o contraditório movimento da realidade. Exemplo recente:

A morte de George Floyd por um policial nos EUA é um nítido caso de racismo. O entendimento das manifestações de revolta que avançaram por diversas cidades americanas nos últimos dias, passa por um quadro histórico comparativo que lança luz sobre a situação atual. Séculos de escravidão foram interrompidos pela Guerra da Secessão (1861-65). No entanto, a população negra não foi integrada á sociedade norte americana. Apesar de importantes conquistas com as lutas pelos direitos civis nos anos de 1960, a opressão não deixou de existir: entre o capuz da Ku Klux Klan e o cacetete do policial, o racismo manteve-se intacto assim como as causas econômicas geradoras da miséria nos bairros negros. Entre o blues e o rap, os trabalhadores negros americanos cantaram contra a civilização burguesa. Entre a depressão econômica dos anos de 1930 e a crise econômica de 2020, trabalhadores (negros e brancos) levantaram a voz contra o sistema. Nas ruas da História, a luta contra o racismo e a luta anticapitalista possuem o mesmo endereço.

A informação orienta decisões, ações: POLÍTICA

A exposição das informações consiste na montagem dos fatos. A montagem é inseparável da ideologia de quem narra. Todavia, a exposição realizada de acordo com a lei racional dos fatos históricos é incompatível com a distorção da realidade, com a adulteração de tudo aquilo que existiu e existe independentemente da vontade individual.

FICÇÃO: criação imaginária.

IMAGINAÇÃO: habilidade de representar imagens.

Um ficcionista comprometido com os problemas do seu tempo é um claro opositor dos fabricantes de Fake News. Se estes falseiam a realidade, distorcem os fatos sociais/históricos, o ficcionista pode exercer com a elaboração de histórias imaginárias baseadas no movimento dialético da História, a missão política de esclarecer, educar e(in) formar.

Armas da Crítica: Filosofia da práxis, poema libertário, Romance social, Conto político, narrativa histórica materialista, jornalismo de combate.




Tópicos relacionados

Cultura

Comentários

Comentar