Juventude

UERJ RESISTE

Festival Viva UERJ reúne milhares em defesa da universidade

quarta-feira 15 de fevereiro de 2017| Edição do dia

No dia de ontem (14), técnicos e professores da UERJ realizaram um festival em defesa de sua Universidade contra os ataques de Pezão, com apoio do DCE e da ASDUERJ. A atividade política e cultural contou com artistas de peso, parlamentares de esquerda e mais de 3 mil estudantes na platéia, além de servidores e professores.

O Viva UERJ teve colaboração com apresentações de Leoni, Frejat, APAFunk, Grupo Pé de Louro, Isabella Taviani, Teresa Cristina, Myllena, Paulão 7 Cordas e Ramon Araújo, Felipe Filósofo, Lucio Sanfilippo, André Grabois, André Jamaica, Clarice Magalhães, Dorina Barros, Eduardo Galloti, Elisa Addor, Ernesto Pires, Julieta Brandão, Marina Iris, Moysés Marques, Pedro Holanda, Pedro Miranda, Renata Jambeiro, Sidney Matos, Xandy Carvalho, Rita Benneditto, Katia Iunes, Luzia de Mendonça, Jesuton, Thaís Gulin, Coletivo Porangareté, além de MC Junior e Leonardo.

Entre as apresentações falas em defesa da UERJ, dentre as quais os deputados Marcelo Freixo e Flávio Serafini, e vereadores Renato Cinco, Marielle e Tarciso Motta. O sentido geral do Festival protestou contra o sucateamento da UERJ que é na realidade um projeto do governo estadual e Federal de precarizar o ensino público, tendo a UERJ e as demais estaduais do Rio como exemplo.

O Festival Viva UERJ expressou a força que tem os servidores, professores e estudantes para seguir em defesa de sua Universidade, a primeira a aderir às cotas que hoje atrasa os pagamentos de bolsistas, servidores e terceirizados que são constantemente demitidos. Durante a apresentação, foram recolhidas doações ao HUPE, Policlínica Piquet Carneiro e Posto de Enfermagem em Vila Dois Rios, Ilha Grande, unidades médicas da UERJ em dificuldades de funcionamento.

Assista transmissão do Festival feita pela página de Carolina Cacau, ex candidata a vereadora do MRT pelo PSOL:

Também foi importante a presença de trabalhadores da CEDAE em luta contra a privatização da água de todo povo carioca. Dos cinco presentes, a companheira que falou pela CEDAE é mãe de uma estudante do Colégio de Aplicação da UERJ, o que reforçou a necessidade da unidade numa calorosa saudação em defesa da universidade. Sua presença demonstrou a necessidade decisiva da aliança dos estudantes com os trabalhadores para barrar os ataques de Pezão.

O plano de ataques de Temer e Pezão coloca na mira todos os serviços públicos, dentre eles as Universidade. Tentam descarregar a crise das isenções bilionárias e da dívida pública que só serve ao enriquecimento dos banqueiros, nos ombros dos trabalhadores, estudantes e do povo pobre, começando pela privatização da CEDAE. A força dos milhares que ontem estava na UERJ, em aliança com os trabalhadores da CEDAE é o que pode barrar os ataques de Temer e Pezão.

Leia mais: Rio de Janeiro mostra o caminho pra derrotar os ataques de Temer


FOTO: Midia Ninja




Tópicos relacionados

#UERJResiste   /    Rio de Janeiro   /    Juventude

Comentários

Comentar