Política

REFORMA TRABALHISTA AVANÇA

Ferraço passa a Reforma goela abaixo na Comissão de Assuntos Econômicos: Greve geral já!

Apesar da opinião pública e da força da mobilização do 28A, Ferraço, relator do Senado, dá relatório como lido e confirma votação de reforma para dia 30. Hoje, milhares rumam à Brasília para exigir a saída de Temer e o fim das Reformas, o que pode vir a ser um dos maiores momentos da luta de classes no Brasil.

Leticia Parks

São Paulo

terça-feira 23 de maio| Edição do dia

Apesar dos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Fátima Bezerra (PT-RN) negarem que o relatório tenha sido lido, pois havia discordância com o conteúdo apresentado, em meio do bate-boca, a saída do ajustador e golpista Ferraço foi dar o relatório como lido pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), encaminhando a votação da mesma Comissão para o dia 30: "Dei o relatório como lido e foi concedida vista. A tendência é que a votação seja já na próxima terça-feira. O calendário da reforma trabalhista está absolutamente mantido", afirmou Ferraço. Após a votação da CAE, duas outras Comissões votam a Reforma antes de ser votada pelo plenário geral do Senado.

Foram muitos os recados dados pelas massas nos últimos meses, desde que se anunciaram as Reformas trabalhista e previdenciária, contra esses que são os maiores ataques contra as condições de vida dos trabalhadores no Brasil. A primeira, uma medida para nos fazer trabalhar como escravos, alastrando a terceirização e aumentando ainda mais as jornadas de trabalho já bastante extensas. A segunda, para nos fazer trabalhar até a morte.

Houveram atos regionais que reuniram centenas de milhares em todos os estados do país. As jornadas do dia 28A marcaram uma classe trabalhadora decidida por lutar, que foi pra rua e paralisou os locais de trabalho apesar das manobras e do freio da burocracia sindical. Desde a delação do áudio de Temer, mais protestos correram as ruas de todo o país. Hoje, centenas de milhares se direcionam a Brasília preparados para enfrentar a repressão, colocar Temer abaixo e barrar todas as Reformas. Apesar disso tudo e de todas as pesquisas, mesmo as que tentaram manipular, mostrarem que a opinião dos trabalhadores e da juventude é totalmente avessa às Reformas, o relator do Senado, Ricardo Ferraço.

Ferraço que é senador recebe R$16.512,09, cerca de 4 vezes o salário recomendado pelo DIEESE aos trabalhadores (R$ 3.899,66), que segundo os cálculos da agência, seriam suficientes para garantir custos de educação, saúde, moradia e lazer de uma família.

A truculência da qual o senador se utiliza para conseguir passar a Reforma goela abaixo é expressão de sua vontade de manter esse privilégio vivo, às custas da qualidade de vida de milhões e dos mínimos direitos trabalhistas. Essas são as regras de um jogo onde só a burguesia e seus fantoches parlamentares são capazes de ganhar. A única chance que os trabalhadores tem de parar a roda dos ataques é com mais uma Greve Geral, que seja capaz de derrubar Temer, as Reformas, e impor uma nova Constituinte que estabeleça as nossas regras para esse jogo.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Política

Comentários

Comentar