Educação

FARMÁCIA USP CONTRA O CORONAVÍRUS

Farmácia da USP faz álcool em gel para o Hospital Universitário

quinta-feira 26 de março| Edição do dia

Nos últimos dias, em que vimos se intensificar a crise causada pelo Coronavírus, a faculdade de Farmácia da USP tem dado um exemplo para os demais institutos do que fazer frente a esse momento: Utilizar os recursos que temos para produzir o que é necessário para que os trabalhadores possam enfrentar essa crise.

Através de uma exemplar iniciativa, a faculdade de Farmácia da USP tem funcionado a serviço de produzir álcool em gel, um dos principais materiais de prevenção ao Covid19, para fornecer aos médicos, enfermeiros e pacientes do Hospital Universitário.

O Hospital, fruto de anos de desmonte por parte da reitoria e dos governos do PSDB no estado de São Paulo, tem tido muita dificuldade para enfrentar a crise, chegando a não conseguir oferecer máscaras o suficiente para que os profissionais da saúde que nele trabalham possam se proteger e seguir enfrentando o vírus.

Nesse sentido, são fundamentais iniciativas como essa, no entanto, os insumos necessários para essa produção estão chegando ao fim, e não são suficientes para mais de um mês de produção. Frente a isso é urgente que o governo do estado e a reitoria exijam que as grandes empresas químicas da região reorganizem sua produção para que produzam todos os recursos necessários de combate e prevenção ao vírus, e, ao mesmo tempo, distribuam os insumos necessários para que a Faculdade continue produzindo. Caso as empresas se neguem a fazer esse tipo de reorganização, é necessário que sejam estatizadas e sejam geridas pelos trabalhadores, únicos capazes de responder à essa crise em defesa da população pobre.

É preciso que esse exemplo se estenda para os demais institutos e universidades pelo país, para que possamos colocar o conhecimento adquirido pelos estudantes e professores a serviço de combater essa crise e batalhar para que não sejam os trabalhadores a pagarem por ela, como quer Bolsonaro e seus ministros que aprovaram uma absurda MP que irá destinar milhões à fome e à miséria, mesmo após ter retrocedido em uma das medidas.

Para isso é necessário questionarmos a estrutura de poder da universidade, que é comandada por uma reitoria e conselho universitário que atuam a serviço do lucro das grandes empresas e não da população. Sabemos como as universidade públicas pelo país tem sofrido cortes gigantescos, que diminuem o número de bolsas de pesquisa assim como precarizam a estrutura universitária para que possa ampliar sua produção a serviço do que é necessário neste momento.

Neste sentido é dever dos governos utilizar todo o recurso necessário para que os estudantes, professores e trabalhadores possam utilizar os laboratórios os espaços da universidade para auxiliar no combate ao vírus e que estes por sua vez, possam tomar em suas mãos os rumos da universidade e a colocar sob seu controle.
Para que essa demanda seja ouvida é fundamental que os centros acadêmicos e DCEs se encampem nessa luta e em cada curso e institutos estejam a serviço de organizar os estudantes nesse sentido.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Educação   /    USP

Comentários

Comentar