Economia

PREÇO DOS ALIMENTOS

Famílias mais pobres são mais impactadas com a inflação, diz Ipea

De acordo com o indicador de Inflação por Faixa de Renda do Ipea (Instituto de Pesquisa Economia Aplicada), a inflação tem causados maiores impactos no custo de vida de pessoas com renda mais baixa, aumento que ocorre desde março.

terça-feira 15 de setembro| Edição do dia

Foto: Fotoarena/Folhapress

Segundo o Ipea, em agosto, a inflação de famílias mais pobres, que possuem renda domiciliar menor que R$900, teve uma variação de 0,38%, taxa bem superior aos 0,10% de famílias ricas, que possuem renda maior do que R$9 mil.

Enquanto as famílias mais ricas têm uma deflação, ou seja, uma queda de preços acumulada de 0,07% em agosto, para as famílias mais pobres a inflação do ano chegou a 1,50%. O acumulado para as famílias mais pobres em 12 meses é de 3,20%, mais que o dobro das famílias ricas que é de 1,54%.

De acordo com o Ipea o grupo de despesas que mais foi impactado pela inflação é o de alimentos no domicílio, o que mais impacta as famílias pobres, com o aumento do valor da cesta básica. No ano, alimentos importantes para os brasileiros acumulam altas de preços: arroz (19,2%), feijão (35,9%), leite (23%) e ovos (7,1%)

Fenômeno que vez em sentido contrário para as famílias mais ricas que tiveram queda no orçamento, com a queda do setores de serviços e gastos na educação que recuaram em 3,47% com a queda das mensalidades.

Veja também:Enquanto povo passa fome, Bolsonaro quer isentar impostos de importação dos empresários




Tópicos relacionados

Economia   /    pandemia   /    Governo Bolsonaro   /    Desigualdade Salarial   /    Economia nacional   /    Economia

Comentários

Comentar