Política

ELEIÇÕES 2016 RIO

Família de cinegrafista morto critica Crivella por uso de sua imagem

A família de Santiago Andrade, cinegrafista da Bandeirantes que morreu em 2014 após ser atingido por um rojão durante uma manifestação, criticou o uso eleitoral que o candidato do PRB, Marcelo Crivella, fez da imagem do assassinato para combater seu adversário Marcelo Freixo (PSOL).

quarta-feira 26 de outubro| Edição do dia

Uma parte fundamental da estratégia eleitoral de Crivella para combater seu adversário na disputa pela prefeitura do Rio é tentar taxá-lo como "radical" e, nesse âmbito, ligar sua imagem a dos Black Blocs.

Para isso, o bispo da Universal passou a veicular uma propaganda televisiva em que mostrava o momento em que o cinegrafista foi atingido pelo rojão que causou sua morte, e em seguida uma declaração de Freixo em que o candidato do PSOL dizia considerar válidas as diferentes formas de luta.

Concluindo, a inserção afirmava que o Rio de Janeiro não é uma "terra sem lei", em uma campanha francamente reacionária contra os movimentos sociais e contra seu adversário.

Foi a filha de Santiago Andrade que respondeu à propaganda de Crivella, afirmando que é um desrespeito a ela e sua mãe, e que Crivella deveria se envergonhar. A crítica foi feita em uma postagem em seu perfil de Facebook, que pode ser vista abaixo:

Ela questiona Crivella: "O candidato gostaria de refletir como se sente uma família ao ter que assistir a sua propaganda na hora do jantar e olhar para a cadeira vazia na mesa em seguida? O senhor quer participar desse jantar, candidato?"

As acusações levaram a que a assessoria de Crivella respondesse, na manhã dessa terça-feira, 25, afirmando que a propaganda havia sido retirada do ar e pedindo desculpas à família em nome do candidato do PRB. Hipocritamente, ainda dizem que ele não havia autorizado a veiculação da propaganda




Tópicos relacionados

Eleições Rio de Janeiro   /    Eleições 2016   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar