Gênero e sexualidade

DIA 29 DE AGOSTO

Faltam 7 dias para o Encontro de Mulheres e LGBT do Pão e Rosas

Às 15h no Sindicato dos Metroviários de São Paulo.

segunda-feira 17 de agosto de 2015| Edição do dia

No dia 29 de agosto se reunirão centenas de mulheres e LGBT no Sindicato dos Metroviários de São Paulo em um grande Encontro convocado pelo Pão e Rosas. Em uma situação nacional marcada pelos planos de ajustes do governo Dilma que atinge de forma mais cruel as mulheres, negras, LGBT este encontro deverá se posicionar claramente contra o governo mas também contra todas as variantes de direita que não de forma menos cruel destilam seu ódio contra os setores oprimidos.

O Encontro terá como destaque a presença de trabalhadoras que estão na linha de frente da construção do Pão e Rosas. Trabalhadoras de restaurantes, creches, operárias, metroviárias, professoras, terceirizadas, bancárias, comerciárias, dos correios, donas de casa e de outros setores. Ao mesmo tempo contaremos com a presença internacional de Myriam Bregman, candidata a vice-presidente da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores na Argentina e também deputada nacional e Andrea D’Atri, fundadora do grupo de mulheres Pão e Rosas na Argentina e candidata a deputada nacional para o ParlaSul. Ambas fazem parte da chapa eleitoral que inverteu a cota destinando 70% das vagas para mulheres.

Com forte presença LGBT, o Encontro está sendo construindo em clima de revolta contra novas mortes de homossexuais e travestis, como o caso de Adriano no Rio de Janeiro, onde lançamos o video "O que eu fiz pra você?" que tem viralizado nas redes sociais. O Encontro também se pronunciou sobre o caso de Gisele Santos, jovem gaúcha que teve as mãos decepadas pelo ex-marido. O Pão e Rosas enviou carta à jovem e irá organizar arrecadação em solidariedade à Gisele.

Nas universidades já são várias as atividades de preparação que estão sendo organizadas rumo ao Encontro: debates sobre sexualidade, transfobia, cursos de formação sobre gênero e muitos outros. Estamos buscando uma construção orgânica nos locais de trabalho e estudo, enfrentando todas as dificuldades que em especial as mulheres trabalhadoras têm para poder se organizar politicamente. Ao mesmo tempo, uma grande campanha financeira está sendo organizada para custear o Encontro de forma independente.

O nível de politização atual mostra a necessidade de respostas políticas para potencializar a luta por nossos direitos, contra a violência às mulheres, pelo fim do trabalho precário, pelo direito ao aborto e pela identidade de gênero, que serão alguns dos temas principais do Encontro. Queremos debater a constituição de um pólo classista e anti-governista pra enfrentar os planos de ajustes, mas também avançar pra respostas políticas frente à crise do PT e a possibilidade que seja capitalizada pela direita.

Com este objetivo também convidamos para a mesa de abertura as companheiras Luciana Genro do PSOL e Amanda Gurgel do PSTU, para contribuir no debate, bem como todas as militantes e simpatizantes deste partido. Infelizmente Luciana Genro informou que não poderá estar presente, e aguardamos confirmação de Amanda Gurgel.

Ao mesmo tempo, importantes referentes do Pão e Rosas como Diana Assunção, fundadora do grupo no Brasil; Rita Frau, da Executiva do Movimento Mulheres em Luta no Rio de Janeiro; Virginia Guitzel, importante referente da luta LGBT; Flávia Vale, professora de Contagem em Minas Gerais; Silvana Ramos, linha de frente da luta das trabalhadoras terceirizadas da USP e muitas outras companheiras estão convocando e construindo este Encontro. Com grupos de discussão para que cada trabalhadora e jovem possam ser sujeito da discussão política o Encontro deverá terminar com uma grande festa de confraternização.

Venha você também construir e participar do Encontro de Mulheres e LGBT do Pão e Rosas!




Tópicos relacionados

Encontro de Mulheres e LGBTs   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar