Política

ELEIÇÕES 2018

Falácia do "combate à corrupção": 1/3 do Congresso eleito é alvo de investigações

Nessas eleições que foram totalmente manipuladas pelo judiciário, o discurso de combate a corrupção foi utilizado por Bolsonaro e pelo próprio judiciário como campanha eleitoral contra o PT, mas o que na verdade vemos que após essas eleições onde muitos políticos com acusações mais graves de corrupção e de outros crimes conseguiram se eleger ao meio dessas eleições que foram manipuladas desde o inicio.

segunda-feira 5 de novembro| Edição do dia

Novo congresso, eleito nas últimas eleições conta com um terço de seus integrantes acusados de crimes como corrução, lavagem de dinheiro, assedio sexual e estelionato, ou é réu em ações por improbidade administrativa ou enriquecimento ilícito.

Desde o golpe institucional que o discurso anticorrupção anda a boca do povo, na verdade serviu de base para o golpe e para o fortalecimento de uma das figuras mais tenebrosas da extrema direita: Jair Bolsonaro. Mas a verdade é que é só um discurso mesmo, que foi utilizado para criar uma enorme aversão ao PT que se apropriou dos métodos de corrupção próprios do capitalismo, sendo que essa lógica é utilizada por todos os partidos da ordem.

Dos eleitos acusados, são no total, 160 deputados e 38 senadores, que ingressam acusados ou diretamente réus. Dentre os acusados estão nomes conhecidos com Gleisi Hoffman (PT) e Aécio Neves (PSDB). Além de tucanos e petistas a lista consta com integrantes do PSL partido que elegeu para presidência da república Jair Bolsonaro.

Esses candidatos foram eleitos em meio à eleições totalmente manipuladas pelo judiciário, que ao mesmo tempo que prendeu Lula arbitrariamente e sem provas, e fez ações como não permitir nem mesmo entrevistas, passa pano para centenas de parlamentares que poderiam ser presos com muito mais provas do que o próprio Lula. A arbitrariedade do judiciário apoiado na Lava Jato levou Bolsonaro ao poder e ninguém menos que Sérgio Moro ao ministério da justiça.

A manobra fica a cada dia mais clara, não podemos ter nenhuma ilusão na justiça burguesa, que faz uso de seus poderes para mandar e desmandar no país. Não existe saída pelos meios institucionais e jurídicos desse sistema falido que é o capitalismo. Temos que batalhar para impor uma saída da nossa classe, uma saída dos trabalhadores. Que todos os juízes sejam eleitos e tenham seus cargos revogáveis, que todo crime de corrupção seja julgado por juris populares. Só assim poderemos de fato por um fim na corrupção e barrar as manobras políticas e jurídicas que só servem para manter os privilégios de uma casta que não interesse nenhum nos direitos da população e sim em manter seus privilégios e salários milionários.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Poder Judiciário   /    Congresso   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar